ISSN 0104-7795 Versão Impressa
ISSN 2317-0190 Versão Online

Logo do Instituto de Medicina Física e Reabilitação HC FMUSP

Resultado da Busca

A busca para o autor ou co-autor encontrou: 13 resultado(s)


A história da deficiência, da marginalização à inclusão social: uma mudança de paradigma

The history of disability, from marginalization to social inclusion: a change in paradigm

Kátia Monteiro De Benedetto Pacheco1; Vera Lucia Rodrigues Alves2

Acta Fisiátr.2007;14(4):242-248

Este artigo pretende contribuir com uma reflexão mais crítica dos indivíduos em relação ao preconceito existente à pessoa com deficiência. Assim, descreve-se o percurso histórico desta população, ressaltando as diferentes posturas como: marginalização, assistencialismo, educação, reabilitação, integração e inclusão social, para melhor compreensão dos valores que muitas vezes podemos estar reproduzindo sem nenhum questionamento crítico e coerente, pois nos foram transmitidos no processo de socialização. Conclui-se que quando o processo de reabilitação está baseado no paradigma de inclusão, este poderá trazer maior possibilidade para que o indivíduo reflita sobre os valores que a cultura pode ter com relação à deficiência e, assim, se torne um agente de mudança no contexto social.


Palavras-chave: pessoas portadoras de deficiência/história, reabilitação, preconceito, meio social

A reabilitação das alterações cognitivas após o acidente vascular encefálico

The rehabilitation post stroke cognitive changes

Sandra Regina Schewinsky1; Vera Lucia Rodrigues Alves2

Acta Fisiátr.2017;24(4):216-221

O Acidente Vascular Encefálico (AVE) exerce forte impacto no panorama global da saúde do país, sendo a uma das maiores causas de deficiências no mundo, pois geram sequelas motoras, sensitivas, de linguagem, cognitivas, emocionais e comportamentais. A pessoa que sofreu um AVE necessita de atendimento integrativo, motivo que o presente artigo visa demonstrar como o Serviço de Psicologia no Instituto de Medicina Física de Reabilitação do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IMREA HC FMUSP) atua no estado da arte da reabilitação neuropsicológica/cognitiva, em que se faz necessário conceituar a Neuropsicologia e sua interface com o diagnóstico diferencial, com compreensão do funcionamento das atividades mentais na normalidade e suas alterações, para finalmente discorrer sobre a estruturação do programa de reabilitação neuropsicológica/cognitiva no processo de Reabilitação Integral da pessoa vítima de AVE no IMREA FMUSP.


Palavras-chave: Acidente Vascular Encefálico, Neuropsicologia, Disfunção Cognitiva

A repercussão da lesão medular na identidade do sujeito

The repercussions of a spinal cord injury over the individual's identity

Maíra Baldan Fechio1; Kátia Monteiro De Benedetto Pacheco2; Harumi Nemoto Kaihami3; Vera Lúcia Rodrigues Alves4

Acta Fisiátr.2009;16(1):38-42

O presente artigo decorre de pesquisa bibliográfica, qualitativa e exploratória, de publicações literárias científicas, vinculadas á temática da lesão medular e da análise e discussão crítica deste material pesquisado, fundamentada na concepção de identidade do autor Ciampa e nos pressupostos da abordagem da psicologia social. Através do trabalho de pesquisa e análise crítica buscou-se uma maior reflexão e uma maior compreensão acerca da instalação da lesão medular, da repercussão da lesão medular na identidade do sujeito. Procurou-se discutir o papel do programa de reabilitação no movimento de elaboração e de transformação do sujeito e a importância do reconhecimento de seus potenciais para posteriormente participar de forma ativa e auto determinada na sociedade, colaborando assim para uma transformação da própria sociedade.


Palavras-chave: traumatismos da medula espinal, reabilitação, psicologia social

Análise do hábito alimentar e do estado nutricional de pacientes com lesão medular após intervenção nutricional

Analysis of the dietary habits and nutritional status of patients with spinal cord injury after nutritional intervention

Elizabete Alexandre dos Santos1; Vera Lúcia Rodrigues Alves2; Silvia Ramos3; Vera Silvia Frangella4

Acta Fisiátr.2014;21(3):121-131

De acordo com a Organização Mundial da Saúde a deficiência física é definida como restrições de estrutura ou funções corporais que não são compensadas por medidas sociais, sendo a lesão da medula espinhal (LME) um tipo comum de deficiência física. Diversos fatores podem influenciar o estado nutricional de indivíduos com LME e complicações metabólicas podem levar a uma série de alterações agudas e crônicas no organismo, que estão relacionadas com o surgimento de doenças crônicas e obesidade. A avaliação e o manejo nutricional adequado do paciente com LME podem auxiliar na adequação do estado nutricional, minimizar as complicações associadas com a lesão e favorecer a reabilitação em longo prazo. Objetivo: Avaliar o efeito das medidas de intervenção nutricional, utilizadas em um ambulatório de nutrição clínica, sobre o hábito alimentar e o estado nutricional de pacientes com lesão medular. Método: Trata-se de um estudo exploratório transversal e retrospectivo em que foi analisado o hábito alimentar de todos os pacientes com LME, atendidos em um ambulatório no período de abril de 2012 a outubro de 2013. Resultados: Foram avaliados 30 pacientes com média de idade igual a 46 ± 15,29 anos, sendo 70% do sexo masculino. Após a intervenção nutricional houve diminuição no consumo de gorduras saturadas, diminuição na ingestão de cereais refinados e aumento no consumo de hortaliças e frutas. Conclusão: Observou-se a importância da intervenção nutricional na adequação dos hábitos alimentares dos indivíduos, sendo que a educação nutricional deve ser precoce, para prevenir complicações secundárias à lesão.


Palavras-chave: Traumatismos da Medula Espinhal, Estado Nutricional, Hábitos Alimentares, Educação Alimentar e Nutricional

Encontro marcado: o adolescente deficiente físico e as relações humanas<sup>*</sup>

Maria Cristina Vitti Vieira1; Vera Lúcia Rodrigues Alves2

Acta Fisiátr.2000;7(1):9-12

Trata-se de uma exposição acerca da intervenção psicoterápica realizada com um grupo de dez adolescentes portadores de deficiência física de uma instituição de reabilitação. Foram enfocadas questões referentes à sexualidade e à deficiência. Nesse processo, foi demonstrado que, por trás das dúvidas, das dificuldades e dos conflitos, existia uma inquietação permanente por parte dos adolescentes e dos pais. Com respeito ao medo de não serem "encontrados" e amados pelo outro, percebeu-se que, subjacente a esse receio, havia também preconceitos, valores morais e padrões de beleza física advindos dos filhos e dos pais que poderiam dificultar as relações mais próximas. No decorrer dos atendimentos, foi se desenhando uma silhueta baseada no respeito e na ética que permitiu algumas reflexões sobre as relações humanas e o desenvolvimento pessoal de cada membro do grupo.


Palavras-chave:

Estudo sobre depressão reativa e depressão secundária em pacientes após acidente vascular encefálico

Study on reactive and secondary depression in patients following a stroke

Priscila Aparecida Rodrigues1; Sandra Regina Schewinsky2; Vera Lúcia Rodrigues Alves3

Acta Fisiátr.2011;18(2):60-65

O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma das patologias que mais acarreta comorbidades e alterações incapacitantes, tanto em relação a aspectos físicos, como em relação a aspectos cognitivos e afetivo emocionais. Após a ocorrência do AVE, freqüentemente o quadro de depressão encontra-se associado. Os tipos mais freqüentes que podem ocorrer são depressão reativa e depressão secundária a lesão encefálica. O manejo terapêutico do profissional de Psicologia é fundamental para o tratamento da depressão, sendo reativa ou secundária, interferindo diretamente no processo de reabilitação após o AVE. A presente pesquisa consiste em identificar, na literatura, os sintomas da depressão reativa e secundária em pacientes após AVE e qual a aplicabilidade da avaliação psicológica diferencial no contexto de reabilitação.


Palavras-chave: Acidente Cerebral Vascular, Depressão, Transtornos de Adaptação, Reabilitação

Implicações das alterações de cognição social no processo de reabilitação global do paciente vítima de traumatismo crânioencefálico

Implications of changes in social cognition in the general rehabilitation process of patients with traumatic brain injury

Sheila Cruz1; Sandra Regina Schewinsky2; Vera Lúcia Rodrigues Alves3

Acta Fisiátr.2012;19(4):207-215

A cognição social pode ser compreendida como o funcionamento dos processos cognitivos aplicados aos relacionamentos, modulando a resposta comportamental dos seres humanos dentro de um grupo social.
OBJETIVO: Nesta perspectiva, o presente trabalho tem como objetivo rever os conceitos de cognição social e suas alterações em vítimas de traumatismo crânio-encefálico com lesões na região frontal e as implicações dessas na afetividade do sujeito, bem como, as influências no processo de reabilitação global. A relevância do estudo deve-se ao fato de que atualmente existe um número crescente de pessoas acometidas por lesões neurológicas, vítimas de suas implicações.
MÉTODO: Para esta finalidade, a metodologia utilizada foi a de revisão bibliográfica que considerou livros e artigos nacionais sobre o tema publicados no período de 1994 a 2011.
RESULTADOS: A discussão visa contribuir para maior entendimento dos prejuízos do acometimento neurológico, podendo assim colaborar com o processo de reabilitação e com uma melhor qualidade de vida desses pacientes.
CONCLUSÃO: Conclui-se que a alteração de cognição social e afetividade trazem implicações diversas no que tange ao desenvolvimento do programa de reabilitação, sendo relevante considerar nesses casos, a reabilitação neuropsicológica como um processo que propicia o reestabelecimento das relações sociais, sendo papel do psicólogo auxiliar na construção de estratégias de enfrentamento da condição atual das pessoas que sofreram esse acometimento visando proporcionar-lhes uma melhor qualidade de vida.


Palavras-chave: cognição, reabilitação, traumatismos craniocerebrais

O significado do discurso de risco na área de reabilitação

Vera Lúcia Rodrigues Alves

Acta Fisiátr.2001;8(2):67-70

A autora busca neste artigo analisar o discurso e as intervenções governamentais na atenção à pessoa portadora de deficiência. Nesse sentido discute-se o conceito de "risco" no contexto de saúde pública e o seu significado em reabilitação.


Palavras-chave: Risco. Reabilitação. Discurso político. Deficiente.

Reabilitação psicossocial da criança com traumatismo cranioencefálico: conseqüências na afetividade e no emocional

Vera Lúcia Rodrigues Alves1; Harumi Nemoto Kaihami2

Acta Fisiátr.2000;7(3):99-102

As autoras colocam em pauta a reabilitação psicossocial da criança com traumatismo cranioencefálico, em suas diferentes facetas, considerando-se os déficits físicos, cognitivos e os aspectos afetivos/emocionais. Destacam a posição que os pais ocupam no momento de crise e as conseqüências posteriores no âmbito emocional. Ressaltam a violência que ocorre com as crianças e com os pais, decorrentes de normas culturais e sociais. Concluem, enfatizando a responsabilidade partilhada entre pais, crianças e sociedade com respeito à questão da prevenção.


Palavras-chave: Criança. Traumatismo cranioencefálico. Psicologia. Reabilitação.

Reabilitação psicossocial da criança com traumatismo cranioencefálico: conseqüências na afetividade/emocional<sup>*</sup>

Vera Lúcia Rodrigues Alves1; Harumi Nemoto Kaihami2

Acta Fisiátr.1999;6(2):60-63

As autoras colocam em pauta a reabilitação psicossocial da criança com traumatismo cranioencefálico, em suas diferentes facetas, considerando-se os déficits físicos, cognitivos e aspectos afetivos/emocionais. Destacam a posição que os pais ocupam no momento de crise e as conseqüências posteriores no âmbito emocional. Ressaltam a violência que ocorre com as crianças e com os pais, decorrentes de normas culturais e sociais. Concluem, enfatizando a responsabilidade partilhada entre pais, crianças e sociedade com respeito à questão da prevenção.


Palavras-chave: Criança. Traumatismo cranioencefálico. Psicologia. Reabilitação.

Reintegração corporal em pacientes amputados e a dor-fantasma

Body reintegration of amputee patients and the phantom pain

Kátia Monteiro De Benedetto1; Maria Cristina Rizzi Forgione2; Vera Lúcia Rodrigues Alves3

Acta Fisiátr.2002;9(2):85-89

Estudos mostram que a dor-fantasma em pacientes amputados pode expressar uma tentativa de reintegração corporal, visto que a amputação pode alterar a imagem corporal, comprometendo o sentido de integridade do indivíduo. Deste modo, ressaltam-se as etapas de reintegração corporal nestes pacientes e a importância de evitar o uso maciço da negação como mecanismo de defesa no processo de elaboração da perda física. Conclui-se que, apesar de a dor-fantasma ter uma função de reintegração corporal, pode-se mostrar como uma alternativa não produtiva ao processo de reabilitação global do paciente amputado.


Palavras-chave: Amputação. Membro-fantasma. Psicologia. Reabilitação.

Técnicas de relaxamento no contexto da psicoterapia de pacientes com queixas de dor crônica e fibromialgia - uma proposta

The Relaxation Technics in Psycotherapy for Patients with Cronic Pain: A Proposal of Treatment

Luiz Paulo Marques de Souza1; Maria Cristina Rizzi Forgione2; Vera Lúcia Rodrigues Alves3

Acta Fisiátr.2000;7(2):56-60

O presente artigo consiste em uma revisão bibliográfica a respeito do fenômeno da dor realizada no Serviço de Psicologia da Divisão de Medicina de Reabilitação do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Os autores iniciam definindo o conceito de dor e suas diferenciações, abordando os aspectos psicológicos e sociais que desencadeiam ou acompanham os fenômenos álgicos. É também comentada a possível correlação entre o desenvolvimento das síndromes álgicas crônicas - como a fibromialgia - e as disfunções psicossomáticas. O artigo, da mesma forma, propõe que as técnicas de recondicionamento psicofísico, também chamadas de relaxamento, venham a ser empregadas no contexto psicoterápico de pacientes com queixas de dores crônicas. Por meio delas, procura-se o restabelecimento do tônus muscular dos indivíduos e promover uma melhora na qualidade de vida, uma vez que oferecem, por conseqüência, bem-estar físico e mental.


Palavras-chave: Dor crônica. Fibromialgia. Relaxamento. Psicoterapia.

Um estudo sobre a satisfação sexual de pessoas portadoras de lesão medular

Andréa Santarelli Alves1; Maria Helena Delanesi Guedes2; Vera Lúcia Rodrigues Alves2

Acta Fisiátr.1999;6(1):6-9

Este trabalho teve como objetivo buscar maiores conhecimentos a respeito da satisfação sexual das pessoas portadoras de lesão medular, cujos resultados poderão contribuir para a atuação profissional na reabilitação sexual. Sendo considerada um problema de saúde coletiva, a lesão medular requer esforços quanto a prevenção e cuidados de reabilitação. Indivíduos portadores de lesão medular podem apresentar distúrbios motores, sensitivos, autonômicos e na esfera emocional, em maior ou menor grau e, assim, a sexualidade, o ato sexual e a função sexual podem sofrer modificações variando a intensidade conforme o caso. Para estudar o assunto, foi realizada uma pesquisa de campo com pessoas portadoras de lesão medular que fazem ou fizeram programa de reabilitação na Divisão de Medicina de Reabilitação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, apresentando os seguintes resultados no tocante à satisfação sexual: 60% relataram estar sexualmente satisfeitas; 25% não souberam opinar e 15% declararam insatisfação. A maioria dos "satisfeitos" já passou pelo processo de reabilitação, enquanto, dentre os "insatisfeitos" e os que "não souberam opinar", a maioria encontra-se em tempo médio de reabilitação (cerca de 1 ano). Foi possível concluir que, assim como a reabilitação física, a reabilitação sexual também é um processo que se compõe de várias fases, podendo conduzir a uma efetiva readaptação sexual, de acordo com a elaboração e a transposição dessas fases.


Palavras-chave: Sexualidade. Lesão medular. Reabilitação.

Apoio

Logo Medicina USP Logo Instituto Oscar Freire Logo HC FMUSP

Patrocinadores

Logo Fundação Medicina USP Logo Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação Logo Inovation for pacient care Logo Allergan

Revista Credenciada

Revista Associada

Logo Sistema Integrado de Biblioteca s Universidade de São Paulo Logo Associação Brasileira de Editores Científicos

©2019 Acta Fisiátrica - Todos os Direitos Reservados

Logo Acta Fisiátrica

Logo GN1