ISSN 0104-7795 Versão Impressa
ISSN 2317-0190 Versão Online

Logo do Instituto de Medicina Física e Reabilitação HC FMUSP

Número atual: Março 2012 - Volume 19  - Número 1

ARTIGO ORIGINAL

1 - Análise das forças de reação do solo durante a marcha de indivíduos sadios com e sem uso de calcanheiras corretivas

Ground reaction forces analyses during the gait of healthy individuals with and without the use of a calcaneus insole

Ana Francisca Rozin Kleiner; Aline Araujo do Carmo; Regina Kletecke; Danielle Burgos; Marcio Ferreira de Souza; Ricardo Machado Leite de Barros

Acta Fisiátr.2012;19(1):1-5

O pé constitui a base de apoio e propulsão para a marcha. É conhecido que a supinação e a pronação excessiva ou prolongada podem alterar a mecânica da marcha. Assim, o uso de calcanheiras corretivas para o desvio do calcâneo (valgo/varo) tem sido recomendado.
OBJETIVO: Deste estudo foi analisar a influência do uso de calcanheiras na marcha de indivíduos normais através da Força de Reação do Solo (FRS).
MÉTODO: Participaram do estudo dez adultos (31,9 ± 6,7 anos, 65,9 ± 15,4 kg e 1,7 ± 0,1 m) sem alterações aparentes de marcha ou patologias com reflexo sobre o aparelho locomotor. Foram comparadas as seguintes condições de marcha: descalça, tênis e tênis com calcanheira. As variáveis dependentes foram as componentes vertical, médio-lateral e ântero-posterior da FRS. Para a análise estatística a ANOVA one-way com medidas repetidas no fator condição (descalço, tênis e calcanheira) foi empregada (α < 0,05). Foram reveladas diferenças estatisticamente significativas entre as condições descalço e calçado com tênis e calcanheira para a componente vertical da FRS na fase de contato inicial Fz1 (F2,59 = 3,4; p < 0,0406) e na fase de apoio terminal para a componente antero-posterior Fy2 (F2,59 = 3,63; p < 0,0332).
RESULTADOS: Esses indicam que o uso de calcanheiras aumenta o impacto vertical sobre o aparelho locomotor na fase de resposta à carga, provavelmente devido a sua maior rigidez comparada ao pé descalço ou calçado com tênis. A calcanheira alterou também o padrão de resposta da componente antero-posterior da FRS na fase de terminal do apoio, que corresponde à fase de aceleração/propulsão na marcha.
CONCLUSÃO: Baseado apenas na análise das variáveis dinâmicas foi possível concluir que o uso de calcanheira não induziu aumento significativo de forças laterais que poderiam indicar redução da pronação ou supinação excessiva durante a fase de resposta à carga. O uso da calcanheira produziu efeito dinâmico significativo sobre a pronação/supinação apenas na fase propulsiva da marcha.

Palavras-chave: marcha, postura, pronação, pé, supinação

2 - Efeito da dominância lateral no desempenho da destreza manual em pessoas com síndrome de Down

Effect of lateral dominance on manual dexterity in people with Down syndrome

Renata Guimarães; Silvana Maria Blascovi-Assis; Elizeu Coutinho de Macedo

Acta Fisiátr.2012;19(1):6-10

OBJETIVOS: Avaliar o efeito da dominância lateral na destreza manual em um grupo de crianças e adolescentes com Síndrome de Down (SD) e comparar o resultado de participantes com SD com pessoas sem a síndrome.
MÉTODOS: Participaram do estudo 100 crianças e adolescentes de ambos os sexos e idade variando de 7 a 9 anos e de 14 e 15 anos. 50 pessoas tinham diagnóstico de SD (GSD) e 50 sem a síndrome (GC). O Teste Caixa e Blocos (TCB) foi usado por possibilitar avaliação da atividade motora a partir da contagem do número de blocos transferidos entre duas divisões de uma caixa padronizada. O TCB é simples e sua aplicação não demanda habilidades cognitivas complexas.
RESULTADOS: O número de blocos transferidos por minuto foi menor nos participantes do GSD do que os do GC, com evidente desvantagem na destreza manual para ambas as mãos. Não foi observado efeito de dominância no GSD, mas no GC este efeito foi observado com melhor desempenho no lado dominante.
CONCLUSÕES: O TCB foi útil para a quantificação da destreza manual em pessoas com SD já que é de fácil aplicação e compreensão por pessoas com déficit cognitivo.

Palavras-chave: criança, destreza motora, mãos, síndrome de Down

3 - Efeitos da geoterapia e fitoterapia associadas à cinesioterapia na osteoartrite de joelho: estudo randomizado duplo cego

Effects of geotherapy and phytotherapy associated with kinesiotherapy in the knee osteoarthritis: randomized double blind study

Katleen Arthur; Ligia Carla do Nascimento; Delize Alves da Silva Figueiredo; Lucas Barbosa de Souza; Fábio Marcon Alfieri

Acta Fisiátr.2012;19(1):11-15

A geoterapia é o uso terapêutico de argilas, que são definidas como materiais naturais terrosos que possuem em sua composição diferentes tipos de minerais.
OBJETIVO: Este trabalho teve como objetivo comparar a dor, mobilidade, descarga de peso e prejuízos funcionais em indivíduos com osteoartrite de joelho, submetidos a dois tipos de tratamentos fisioterapêutico: grupo de geoterapia associada a cinesioterapia (GGC) e grupo de geoterapia associada a fitoterapia e cinesioterapia (GGFC).
MÉTODO: O estudo foi um ensaio clínico randomizado duplo-cego no qual participaram 25 indivíduos de ambos os sexos com idade acima de 43 anos. Ambos submetidos a 10 sessões com duração de 45 minutos. Os indivíduos realizaram as avaliações para verificação da dor pela Escala visual analógica (EVA), para avaliar a mobilidade funcional o teste Timed Up and Go (TUG), para avaliar a incapacidade e sintomas o Questionário Algo funcional de Lequesne, e para medir a descarga de peso entre os membros o Nintendo Wii Fit®.
RESULTADOS: Mostraram que apenas o GGFC obteve melhora da mobilidade funcional. Ambos os grupos melhoraram a intensidade da dor e sintomas após a intervenção sendo que a melhora do GGFC foi superior ao GGC em relação aos sintomas da OA. Ambos os grupos não mostraram melhoras quanto à descarga de peso.
CONCLUSÃO: A geoterapia e fitoterapia associada à cinesioterapia podem ser benéficas quanto à redução da dor e prejuízos funcionais associados à OA de joelho.

Palavras-chave: argila, fitoterapia, osteoartrite do joelho, terapia por exercício

4 - Avaliação dos grupos musculares adutores e abdutores do quadril por meio da dinamometria isocinética

Evaluation of hip adductor and abductor muscles using an isokinetic dynamometer

Fábio Teodoro Coelho Lourencin; Osmair Gomes de Macedo; Ennio da Silveira Scarpellini; Júlia Maria D'Andrea Greve

Acta Fisiátr.2012;19(1):16-20

OBJETIVO: Avaliar a atividade dos grupos musculares adutor e abdutor do quadril em adultos jovens através de dinanômetro isocinético.
MÉTODOs: Foram selecionados 20 voluntários do sexo masculino, com idade variando entre 21 e 30 anos para avaliação no dinamômetro isocinético Cybex 6000, nas velocidades angulares de 60º/s e 120º/s.
RESULTADOS: Em relação à dominância, não houve diferença estatística significante nas duas velocidades estudadas. Quanto às duas velocidades estudadas o torque máximo, o trabalho total e a potência média apresentaram diferença estatística significante em todas as comparações. Na comparação entre os grupos musculares foi observada diferença estatisticamente significante para o trabalho total com valores médios maiores no grupo muscular abdutor em ambas as velocidades estudadas e para a potência média foi encontrado valores médios maiores na velocidade de 120º/s no mesmo grupo muscular.
CONCLUSÃO: Não foi observada diferença estatística significante em relação à dominância. Na comparação entre as velocidades, todas as variáveis apresentaram diferença estatística significante com predomínio do torque máximo e do trabalho total a 60º/s e da potência média a 120º/s. Quanto à comparação entre os grupos musculares, foi observada diferença estatística significante para o trabalho total em ambas as velocidades e para a potência média na velocidade de 120º/s.

Palavras-chave: articulação do quadril, biomecânica, dinamômetro de força muscular

5 - Efeitos da imersão nos parâmetros ventilatórios de pacientes com distrofia muscular de Duchenne

Effects of immersion on the breathing parameters of patients with Duchenne muscular dystrophy

Camila de Almeida; Raphael Augusto Fernandes de Oliveira; Daiane Spalvieri; Douglas Braga; Maria Misao

Acta Fisiátr.2012;19(1):21-25

Em muitos centros de reabilitação, a fisioterapia aquática é utilizada para o tratamento de pacientes com distrofia muscular de Duchenne (DMD). Entretanto, são escassas as evidências científicas sobre os efeitos da imersão nos parâmetros ventilatórios desses pacientes.
OBJETIVO: Avaliar os efeitos da imersão no nível da sétima vértebra cervical (C7) com relação aos parâmetros ventilatórios de pacientes com DMD.
MÉTODO: Participaram do estudo quinze meninos com diagnóstico de DMD e média de idade de 12 anos. Coletados dados gerais e história clínica, os pacientes foram avaliados em solo e em imersão sob seguintes parâmetros: Saturação parcial de oxigênio (SpO2), frequência cardíaca (FC), pressões inspiratórias (PI Máx.) e expiratórias (PE Máx.) máximas, Volume Minuto (VM), Frequência Respiratória (FR), Volume Corrente (VC), Capacidade Vital Forçada (CVF) e Pico de Fluxo Expiratório (PFE). A SpO2 sofreu uma redução após a avaliação no meio líquido quando comparada aos valores anteriores à avaliação no mesmo meio (p = 0,01).
RESULTADOS: A FR foi maior em meio líquido que em solo (p = 0,02). As PI Máx. e as PE Máx. não se modificaram em meio líquido. Dentre os volumes analisados, a CVF e o PFE apresentaram valores menores em meio líquido quando comparada aos valores mensurados em solo (p = 0,004). VM e VC não sofreram alteração. Ao se relacionar os valores de CVF em solo e em meio líquido, assim como, os valores de PFE, observa-se que há correlação positiva entre os dados coletados em solo e em meio líquido (CVF: r = 0,692, p = 0,006; PFE: r = 0,913, p = 0,0001). A imersão no nível de C7 foi capaz de reduzir a CVF e o PFE de pacientes com DMD, bem como provocar aumento da FR dos mesmos.
CONCLUSÃO: Com os dados de correlação entre valores em solo e em meio líquido da CVF e do PFE, há possibilidade de se sugerir um valor para estas variáveis em meio líquido a partir de valores mensurados em solo. Estes dados podem fornecer um melhor embasamento para avaliar a indicação de atividades em meio líquido para pacientes com DMD, em diferentes estágios de evolução da doença.

Palavras-chave: distrofia muscular de duchenne, hidroterapia, imersão, ventilação pulmonar

6 - Imagem corporal em pessoas com esclerose múltipla ativas e sedentárias

Body Image in active and sedentary people with multiple sclerosis

Maria da Consolação Gomes Cunha Fernandes Tavares; Angela Nogueira Neves Betanho Campana

Acta Fisiátr.2012;19(1):26-31

OBJETIVO: Desta pesquisa foi verificar aspectos perceptivos e atitudinais da imagem corporal pessoas com Esclerose Múltipla e as diferenças destas variáveis entre praticantes e não praticantes de atividade física.
MÉTODO: Esta foi uma pesquisa descritiva e exploratória, de corte transversal. A amostra foi composta por 26 voluntários, com Expanded Disability Status Scale (EDSS) até 6. Os instrumentos utilizados foram: o Software de Avaliação Perceptiva (SAP), o Adaptive Probit Estimation, Escala de Apreciação do Próprio Corpo, Escala de Sintomas e um questionário demográfico. Os dados nominais foram submetidos a uma análise descritiva e os intervalares à análises inferenciais.
RESULTADOS: Principais indicam acurácia na percepção do corpo, com alta sensibilidade a mudanças corporais, sendo os praticantes de atividade física os mais sensíveis. Ainda, que 73% estão insatisfeitos com sua aparência e que o tipo de dor em formigamento é a queixa mais frequente. Não houve uma associação entre insatisfação com partes do corpo e áreas dolorosas, e os motivos para a insatisfação aglutinam-se em razões estéticas.
CONCLUSÃO: A prática regular de atividade física parece contribuir para aumentar a percepção corporal, mas não a satisfação com o corpo. A dor estabeleceu-se como um fato real, porém independente da aparência física, indicando aos profissionais de saúde que trabalham com estas pessoas que a aparência e a função do corpo são elementos distintos da identidade corporal, e tanto um quanto o outro provoca impacto na relação do sujeito com seu corpo.

Palavras-chave: dor, esclerose múltipla, imagem corporal

7 - Funcionalidade após a cirurgia de quadril: correlação entre equilíbrio, idade, independência e depressão em idosos

Functionality after hip surgery: correlation between balance, age, independence, and depression among the elderly

Marcela de Abreu Silva Couto, Rodrigo Reiff, Alessandra Paiva de Castro

Acta Fisiátr.2012;19(1):32-36

OBJETIVO: Verificar correlações entre a idade e o equilíbrio, a independência, tempo de internação, e a depressão em idosos que sofreram fratura do quadril após quedas.
MÉTODO: A amostra consecutiva incluiu idosos que sofreram fratura de quadril há até 24 meses. Foram avaliados 14 idosos (12 mulheres e dois homens), com idade média de 78 anos ± 6,9. Foi aplicado um questionário para obtenção de dados gerais, Time Up and Go (TUG test), Escala de Equilíbrio Berg (EEB), Escala de Depressão Geriátrica Abreviada (EDGA), Índice de Barthel e Razão cintura-quadril (RCQ). Foi aplicado ANOVA one-way, teste t e teste de correlação de Pearson com um nível de significância de 5%.
RESULTADOS: As médias dos testes: EEB (35,38 ± 33,06), o TUG test (28,40 ± 10,59); a EDGA pré-queda 6,33 ± 1,52; a EDGA pós-queda 7,66 ± 1,52; o RCQ 1,05 ± 0,35 para homens e 0,92 ± 0,12 para mulheres. O Índice de Barthel pré-queda 16, 20 ± 5,4 e o Índice de Barthel pós-queda 15,12 ± 6,78. Quanto maior a idade, maior é o tempo de internação e que não há correlação entre idade e função (IC: 0,643; valor p < 0,013). Houve correlação negativa entre idade e equilíbrio, mas a idade não está relacionada ao nível de depressão (IC: -0,556; valor p < 0,048).
CONCLUSÃO: Foi verificada correlação positiva entre idade e tempo de internação e correlação negativa entre idade e equilíbrio. Houve a diminuição da pontuação de EEB, aumento do tempo do TUG Test e aumento da RQC.

Palavras-chave: acidentes por quedas, equilíbrio postural, fraturas do fêmur, fraturas do quadril, idoso

ARTIGO DE REVISÃO

8 - A influência da terapia por exercício com espelho nas limitações funcionais dos pacientes hemiparéticos: uma revisão sistemática

The influence of mirror therapy on functional limitations of hemiparetic patients: a systematic review

Lívia Portugal da Conceição; Priscila de Souza; Leyne de Andrade Cardoso

Acta Fisiátr.2012;19(1):37-41

O objetivo do estudo foi verificar a influência da terapia por exercício com espelho (TEE) nos déficits sensoriais e motores dos pacientes hemiparéticos acometidos por Acidente Cerebrovascular (ACV), através de revisão sistemática.
MÉTODO: Foi realizada a revisão nas bases de dados LILACS, MEDLINE, SciELO e PubMed, referente aos últimos 12 anos. A qualificação dos artigos foi feita através da plataforma PEDro.
RESULTADOS: Foram incluídos no trabalho cinco artigos em que todos eram ensaios clínicos, randomizado e controlado, que utilizaram a TEE no tratamento de pacientes hemiparéticos. A pontuação dos estudos variou de 4 a 7 pela escala PEDro, com uma nota média de 6,2.
DISCUSSÃO: Alguns estudos mostraram que a TEE é benéfica para aumentar a destreza, amplitude e velocidade do movimento, e outros evidenciaram que há uma maior função e recuperação motora nos pacientes tratados com a TEE. Um estudo analisou pacientes hemiparéticos na fase aguda do ACV e com a Síndrome da dor complexa regional tipo 1 (SDCRt1) e verificou que a TEE aumenta a função motora e sensorial.
CONCLUSÃO: A TEE é benéfica para a recuperação motora, função sensório-motora e para a diminuição da dor. Indivíduos acometidos por ACV necessitam de fisioterapia e, claro, a quantidade de terapia pode influenciar no aprendizado motor, bem como a plasticidade neural. Sabemos a importância da estimulação de forma intensiva para aumentar a capacidade adaptativa do Sistema Nervoso Central em resposta a experiências, adaptações e condições diversas a estímulos repetidos. Dessa forma, se faz necessária a realização de novos protocolos de atendimento com diferentes frequências para evidenciar futuros resultados com a realidade em centros de reabilitação.

Palavras-chave: acidente vascular cerebral, destreza motora, reabilitação, terapia por exercício

RELATO DE CASO

9 - Interferência da fisioterapia aquática na agilidade de paciente com distrofia muscular de Duchenne não deambulador

The impact of aquatic therapy on the agility of a non-ambulatory patient with Duchenne muscular dystrophy

Kaitiana Martins da Silva; Douglas Martins Braga; Ricardo Cristian Hengles; Allan Rogers Venditi Beas; Fernanda Moraes Rocco

Acta Fisiátr.2012;19(1):42-45

A Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é uma doença progressiva. A incapacidade de andar em geral acontece no início da adolescência, posteriormente ocorre à restrição na cadeira de rodas (CR), nesta fase da doença a cadeira de rodas é a única forma de locomoção. A agilidade na CR é um fator fundamental para a independência funcional desses indivíduos.
OBJETIVO: O objetivo deste trabalho é verificar a interferência da fisioterapia aquática na agilidade de uma criança com DMD não deambuladora.
MÉTODO: Este estudo é de caráter clínico prospectivo intervencional. O paciente foi submetido a dez sessões de fisioterapia aquática como forma de intervenção, utilizando como instrumentos de avaliação: Escala EgenKlassifikationteste de agilidade em ziguezague, saturação de oxigênio (SatO2), frequência respiratória (FR), capacidade vital forçada (CVF), volume corrente (VC), volume minuto (VM), pico de fluxo de tosse (PFT), pressão inspiratória (PImáx) e pressão expiratória máxima (PEmáx). O protocolo de intervenção da fisioterapia aquática foi definido com enfoque na agilidade com deslocamento com CR.
RESULTADOS: Foi possível observar melhora da agilidade no deslocamento com cadeira de rodas, manutenção do escore da escala EK, diminuição do VC, VM e PFT.
CONCLUSÃO: Os resultados demonstraram que para este paciente a fisioterapia aquática pode interferir de forma positiva na agilidade no deslocamento com a cadeira de rodas.

Palavras-chave: criança, distrofia muscular de duchenne, hidroterapia

10 - Estimulação elétrica funcional otimizada em pacientes com hemiparesia por doença cerebrovascular

Functional electrical stimulation optimized in patients with hemiparesis due to cerebrovascular disease

Simone Hitomi Oshiro; Carolina Lemes de Oliveira; Amanda Carolina da Silva Bim; Gisele Saraiva Reis de Oliveira; Marcelo Riberto

Acta Fisiátr.2012;19(1):46-49

A Estimulação Elétrica Funcional (FES) é uma das técnicas utilizadas em pacientes com sequelas motoras como a hemiparesia após acidente vascular cerebral (AVC). Estudos recentes mostram resultados positivos para o uso de FES no aumento da força muscular isométrica de extensores de punho e redução do tônus para pacientes com extensão ativa de punho superior a 20º antes da intervenção.
OBJETIVO: Com relação à amplitude de movimento e redução do tônus para pacientes com 10º e 20º de extensão ativa de punho, não se observaram ganhos significativos.
MÉTODO: Este estudo avaliou a eficácia da estimulação elétrica funcional otimizada (FES-O) por duas semanas sobre a destreza manual e a amplitude de movimento (ADM) em três indivíduos apresentando hemiparesia decorrente de AVC.
RESULTADOS: Todos os pacientes apresentaram melhora em um ou mais itens da avaliação (destreza manual e ADM).
CONCLUSÃO: Podemos concluir que a aplicação de estimulação de acordo com este novo parâmetro mostrou-se benéfica,em pouco tempo de estimulação naquelespacientes com apenas esboço de movimento de dedos.

Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

Número atual: Junho 2012 - Volume 19  - Número 2

ARTIGO ORIGINAL

1 - Acidente vascular cerebral crônico: reabilitação

Chronic cerebral vascular accident: rehabilitation

Thaís Tavares Terranova; Fabiola Olea Albieri; Munique Dias de Almeida; Denise Vianna Machado Ayres; Sissi Farrardo da Cruz; Mariana Vita Milazzotto; Denise Rodrigues Tsukimoto; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):50-59



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

2 - Acidente vascular encefálico agudo: reabilitação

Acute encephalic vascular accident: rehabilitation

Igor Kaoru Naki; Thais Amanda Rodrigues; Tatiana Simões de Andrade; Ana Paula de Carvalho Andrade Esotico; Daniella Heyn; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):60-65



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

3 - Câncer de mama: reabilitação

Breast cancer: rehabilitation

Christina May Moran Brito; Maria Inês Paes Lourenção; Maíra Saul; Mellik Bazan; Priscilla Pereira Santos Otsubo; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):66-72



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

4 - Cervicalgia: reabilitação

Neck pain: rehabilitation

Paula Domingues Delfino; Danielle Bianchini Rampim; Fabio Marcon Alfieri; Luis Carlos Onoda Tomikawa; Gustavo Fadel; Patrick Raymond Nicolas Andre Ghislain Stump; Satiko Tomikawa Imamura; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):73-81



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

5 - Exercício em pacientes oncológicos: reabilitação

Exercise for oncological patients: rehabilitation

Elisangela Marinho Pinto Almeida; Rodrigo Guimarães Andrade; Rebeca Boltes Cecatto; Christina May Moran Brito; Fernanda Pereira de Camargo; Cesar Antonio Pinto; Wellington Pereira dos Santos Yamaguti; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):82-89



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

6 - Lesão medular: reabilitação

Spinal Cord injury: rehabilitation

Marina da Paz Takami; Carmem Silvia Figliolia; Gracinda Rodrigues Tsukimoto; Maria Cecilia dos Santos Moreira; Simone Ferraz; Sofia Bonna Boschetti Barbosa; Tatiana Amadeo Tuacek; Thiago de Oliveira Ramos; Wagner Lopes da Silva; Daniel Rubio de Souza; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):90-98



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

7 - Lombalgia inespecífica crônica: reabilitação

Chronic lumbar pain: rehabilitation

Roberto Del Valhe Abi Rached; Chennyfer Dobbins Paes da Rosa; Fabio Marcon Alfieri; Silvia Maria Camillo Amaro; Bruno Nogueira; Luciana Dotta; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):99-113



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

8 - Paralisia cerebral - membros inferiores: reabilitação

Cerebral palsy - lower limbs: rehabilitation

Patrícia Yuri Capucho; Sarah Almeida Del Cid Carnier; Priscila de Souza; Débora Ciotek de Castro; Ana Paula Finocchio; Danieli Morais de Oliveira, Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):114-122



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

9 - Paralisia cerebral - membros superiores: reabilitação

Cerebral palsy- upperlimbs: rehabilitation

Vanessa Cristina Arakaki; Maiara Celina de Carvalho Cardoso; Natalia Cristina Thinen; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):123-129



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

10 - Traumatismo cranioencefálico: reabilitação

Traumatic brain injury: rehabilitation

Tatiane Lopes Teixeira Almeida; Lilian Falkenburg; Roberta Zanardi Ruiz Nascimento; Cristina Arruda Reis; Viviane Carolina Sales; Tatiana Domingues Pedroso; Rebeca Boltes Ceccato; Marta Imamura; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(2):130-137



Palavras-chave: acidente vascular cerebral/reabilitação, estimulação elétrica, hemiparesia

Número atual: Setembro 2012 - Volume 19  - Número 3

1 - Novos tempos, novas práticas: os desafios na formação dos profissionais de terapia ocupacional

New times, new practices: challenges in the training of occupational therapy

Isa de Jesus Coutinho; Karla Ribeiro dos Santos; Ana Joaquina das Mercês Mariani Passos

Acta Fisiátr.2012;19(3):138-141

A Aprendizagem Baseada em Problemas ABP é um método de ensino-aprendizagem que se baseia em problemas reais ou simulados, focalizando conhecimentos, habilidades, atitudes e valores. Embora várias universidades no mundo tenham experimentado essa metodologia, poucos estudos trazem resultados sobre a sua utilização.
OBJETIVO: Esta pesquisa tem como objetivo descrever a experiência com a ABP no curso de Terapia Ocupacional da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP) em Salvador/Bahia.
MÉTODO: Trata-se de uma abordagem qualitativa, que envolveu dezessete alunas do sexto semestre do curso de Terapia Ocupacional. Um instrumento padrão foi elaborado previamente para a pesquisa contendo sete questões.
RESULTADOS: Os principais resultados indicaram o uso da metodologia como positivo para a formação do terapeuta ocupacional, mas também o aspecto desafiador que o método apresenta para o aluno iniciante, além da necessidade de melhoria na formação profissional dos docentes envolvidos em sua aplicação.
CONCLUSÃO: A insegurança dos participantes em gerir o próprio conhecimento, ou seja, a qualidade e necessidade do que foi aprendido - o "aprender a aprender, o aprender a ser e o aprender a fazer" - também foi sinalizada.

Palavras-chave: aprendizagem baseada em problemas, educação superior, terapia ocupacional

2 - Conceito Halliwick inclusão e participação através das atividades aquáticas funcionais

The Halliwick Concept, inclusion and participation through aquatic functional activities

Mauricio Koprowski Garcia; Edenilson Cordeiro Joares; Marcelo Alves Silva; Renato Rocha Bissolotti; Suzana Oliveira; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(3):142-150

Este trabalho apresenta os resultados qualitativos e quantitativos de um grupo 674 usuários que por 12 meses participaram do Projeto Halliwick - atividades aquáticas funcionais - do Instituto de Medicina Física e Reabilitação do Hospital das Clínicas FMUSP e suas amplas repercussões na vida da pessoa com deficiência. O conceito Halliwick foi desenvolvido em 1949 por James McMillan na Inglaterra e está fundamentado em princípios da hidrostática, hidrodinâmica e na mecânica dos corpos na água.
OBJETIVO: O Programa dos 10 Pontos do conceito Halliwick é a aplicação prática e fornece estrutura aos processos de ensinar e aprender com segurança, lógica e progressivamente.
MÉTODO: O trabalho se desenvolve em grupos que motivam e favorecem a interação social, ao mesmo tempo que otimizam o aprendizado. O Halliwick introduz a água como um novo fator ambiental para se trabalhar estratégias do movimento e controle motor de forma diferente. Os atributos da piscina, especificamente as propriedades físicas de água, promovem o bem estar de estruturas físicas e função corporal, independência funcional, novos padrões de movimentos, entendimento de diferentes conceitos sobre motricidade, processamento sensorial, aprendizado cognitivo, organização de padrões de movimentos e controle de atividades diversas. A fisiologia da imersão responde pela ativação de orgãos e sistemas do corpo melhorando seus desempenhos.
RESULTADOS: Com apoio da Associação Halliwick Internacional e Associação Brasil Halliwick o projeto, pioneiro no país, possibilitou atendimento a milhares de usuários garantindo acesso igualitário, pois foca a inclusão e participação da pessoa com e sem deficiência.
CONCLUSÃO: A característica holística do Halliwick influenciou sobre maneira o tradicional ensino de natação e trouxe uma série de refinamentos às técnicas de hidroterapia, demonstrando que programas terapêuticos e recreativos combinados oferecem uma reabilitação contínua para todas as pessoas. Ainda permite o alcance do máximo potencial, trazendo benefícios físicos, psicológicos e social.

Palavras-chave: hidroterapia, imersão, pessoas com deficiência, reabilitação, terapia por exercício

3 - Aptidão motora e atenção em dependentes de drogas psicotrópicas ilícitas

Motor ability and attention span among individuals dependent on illicit psychotropic drugs

André Luiz Bertoncini de Souza; Júlia Magnus Cintrão; Maria Eduarda Merlin da Silva; Adriana Coutinho de Azevedo Guimarães; Silvia Rosane Parcias

Acta Fisiátr.2012;19(3):151-155

As substâncias psicoativas atuam no sistema nervoso central produzindo alterações mentais e de comportamento levando a manifestações clínicas associadas ao uso abusivo de drogas.
OBJETIVO: Avaliar a aptidão motora e a atenção em indivíduos dependentes de drogas psicotrópicas ilícitas, que se encontravam internados em Hospital Psiquiátrico.
MÉTODO: Estudo de caso único, cuja unidade de análise foi uma unidade hospitalar, o qual avaliou a aptidão motora e a atenção em 10 indivíduos dependentes de drogas psicotrópicas ilícitas, do sexo masculino, com média de idade de 31,9 ± 7,07 anos e média de internação de 23,9 dias. Utilizados os seguintes instrumentos: entrevista estruturada sócio-demográfica e Escala Motora para Terceira Idade (EMTI) adaptada e Teste de Traços (TMT A e B). A idade média de início do consumo 15,1 anos; maior tempo de execução do TMT A e B em todas as faixas etárias.
RESULTADOS: Na aptidão motora geral os indivíduos foram classificados: dois como "superior", dois "normal alto", cinco "normal médio" e um "inferior". A organização temporal foi a variável com desempenho mais baixo.
CONCLUSÃO: Foi encontrado déficit na atenção, com média da aptidão motora geral normal e forte associação negativa ou correlação entre o desempenho motor e atenção.

Palavras-chave: atenção, atividade motora, transtornos relacionados ao uso de substâncias

4 - Independência funcional de idosas residentes em instituições de longa permanência

Functional independence in elderly residents in long-term institutions

Flávia Ravany Carneiro; Ismênia de Carvalho Brasileiro; Thiago Brasileiro de Vasconcelos; Vanessa da Ponte Arruda; Raquel Sampaio Florêncio; Thereza Maria Magalhães Moreira

Acta Fisiátr.2012;19(3):156-160

OBJETIVO: Avaliar a independência funcional de idosas institucionalizadas no município de Fortaleza - CE.
MÉTODO: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo com abordagem quantitativa, realizado com 59 idosas residentes em duas Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI) no município de Fortaleza - CE, durante o segundo semestre de 2010. O instrumento de avaliação inicial foi constituído por dados pessoais, sócio-demográficos e clínicos. Além disso, foi aplicada a Medida de Independência Funcional (MIF), visando medir o grau de necessidade de cuidados para tarefas motoras e cognitivas.
RESULTADOS: As idosas apresentavam 8,32 (± 9,46) anos de institucionalização. A idade média das participantes foi de 76,72 (± 9,81) anos. A maioria do grupo alimenta-se de modo independente, bem como realizam higiene pessoal e tomam banho. Quanto à locomoção 50,85% deslocam-se sem ajuda, e 62,71% só conseguem subir escadas com auxílio. Quanto à cognição social, possuem boa comunicação, 49,15% não precisam de ajuda para compreender palavras, 62,71% se expressam livremente, e 50,85% possuem déficit de memória.
CONCLUSÃO: As idosas se mostraram independentes, uma vez que são capazes de desempenhar atividades como alimentação, higiene pessoal, banho, mobilidade, e possuem controle esfincteriano sem auxílio. São dependentes de auxílio relacionados à memória e à locomoção em escadas.

Palavras-chave: avaliação em saúde, habitação para idosos, idoso, saúde do idoso institucionalizado

5 - Restrição visual e oscilações corporais ântero-posteriores na doença de Parkinson

Visual restriction and anterior-posterior body oscillations in Parkinson's disease

Mônica Del Rosario Sánchez-Arias; Ana Francisca Rozin Kleiner; Ágata Yoko Yasue Hamanaka; Paulo Roberto Pereira Santiago; Lilian Teresa Bucken Gobbi; Florindo Stella

Acta Fisiátr.2012;19(3):161-166

Sem visão poucos ajustes antecipatórios e/ou compensatórios ocorrem na doença de Parkinson e as evidências destes ajustes são menores quando a evolução da doença e as oscilações corporais são consideradas.
OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi evidenciar os efeitos da restrição visual sobre os ângulos das oscilações corporais ântero-posteriores na postura ereta de parkinsonianos considerando os estágios inicias de evolução da doença.
MÉTODO: Dez idosos com Doença de Parkinson até o estágio 2 de Hoehn & Yahr (HY) ficaram de pé parados por 30 segundos para medir os ângulos das oscilações corporais com e sem visão.
RESULTADOS: ANOVA two-way com medidas repetidas revelou efeito principal de visão (F(1,7) = 8,931; p < 0,02).
CONCLUSÃO: Os ângulos das oscilações corporais ântero-posteriores sem visão foram maiores do que com visão, estes não diferiram entre si quanto aos estágios de HY e as condições de visão interferiram no controle da postura independente do estágio de evolução da Doença de Parkinson.

Palavras-chave: doença de parkinson, postura, transtorno de movimento estereotipado, transtornos da visão

6 - Prevalência de dor fantasma em amputados do Lar Escola São Francisco

Prevalence of phantom pain among amputees at Lar Escola São Francisco

Therezinha Rosane Chamlian; Mariana Matteis Martins Bonilha; Márcia Cristina Matos Macêdo; Flávia Rezende; Caio Augusto Pereira Leal

Acta Fisiátr.2012;19(3):167-170

A fisiopatologia da sensação dolorosa do membro fantasma, ou da dor fantasma, é caracterizada pela reorganização do mapeamento das estruturas representadas no córtex cerebral, um processo de plasticidade sensitiva e motora. Sua presença pode interferir na reabilitação física e psicossocial do paciente amputado, comprometendo a aquisição de habilidades e a qualidade de vida.
OBJETIVO: Aferir a prevalência de dor fantasma nos pacientes amputados do Lar Escola São Francisco (LESF).
MÉTODO: Foram pesquisados os prontuários dos pacientes atendidos no Grupo de Amputações e Próteses no período de janeiro de 2005 a dezembro de 2010 e analisada a presença ou ausência de queixa de dor fantasma.
RESULTADOS: Dos 330 prontuários analisados, em dez havia referencia de queixa de dor fantasma, equivalendo à proporção de 3,3% dos pacientes.
CONCLUSÃO: A prevalência de dor fantasma foi baixa entre os amputados estudados do LESF. Sua abordagem precisa ser mais bem estudada dentro da avaliação individual do paciente amputado.

Palavras-chave: amputados, dor, membro-fantasma

7 - Estudo sobre as características da dor em pacientes com lesão medular

Study on the characteristics of pain in patients with spinal cord injury

Adriana Vieira Rodrigues; Wesley Araújo Sampaio Vidal; Joseane Andréa Lemes; Carolina Spagnuolo Gôngora; Thalita Correa Neves; Suhaila Mahmoud Smaili Santos; Roger Burgo de Souza

Acta Fisiátr.2012;19(3):171-177

Além da perda da funcionalidade após a lesão medular (LM), a dor é tida como uma das principais complicações mais incapacitantes e vivenciadas no processo de reabilitação, mesmo com o avanço significativo na compreensão da fisiopatologia e tratamento da dor, a abordagem desse sintoma ainda é precária na lesão medular.
OBJETIVO: Descrever as características do quadro álgico nessa população e associar a dor com o tipo de lesão, interferência nas atividades de vida diária (AVD's) e o seu aparecimento.
MÉTODO: Trata-se de estudo transversal com um roteiro de entrevista semiestruturado aplicado a 77 pacientes. Foram calculadas a média e desvio padrão, frequências absolutas e relativas, para a associação entre as variáveis qualitativas foi utilizado teste Qui-quadrado (χ2).
RESULTADOS: A idade foi de 38,26 ± 12,43 anos, sendo 84,4% homens e 80,5% de paraplégicos. Trinta e um foram por acidente automobilístico e 29 por ferimento de arma de fogo, sendo 61,0% com lesão medular completa. Quanto à dor, 44,2% relataram dor severa e 29,8% a moderada, em 50,6% não sentiam dor acima da lesão e 58,4% sentiam-na abaixo. Trinta e nove relataram sentir dor em queimação, 40,0% relataram que a dor surgiu no primeiro ano após a LM. A intensidade da dor foi de 5,44 ± 3,18 pontos, sendo 5,20 ± 3,07 nos homens, 6,75 ± 3,54 nas mulheres, 4,13 ± 3,18 nos tetraplégicos e 5,76 ± 3,12 nos paraplégicos. Para 27 pacientes a dor piorou permanecendo na mesma posição, para 22 melhorou realizando fisioterapia e para 21 com a mudança de posição. Para 68,8% a dor não interferiu nas AVD's. Vinte e oito utilizaram medicação analgésica. Houve associação significativa de que a presença de dor abaixo da lesão interfere nas AVD's (p = 0,04) e surge no primeiro ano após a lesão acima e abaixo da lesão (p = 0,05 e p = 0,01), respectivamente.
CONCLUSÃO: A dor foi prevalente nos lesados medulares, mais evidenciada nas mulheres e na maioria surgiu no primeiro ano após a lesão e interfere AVD's. A fisioterapia e a mudança de posição diminuíram a dor. Portanto, as orientações e intervenções por parte da equipe multiprofissional devem ser imediatas após a lesão, pois a prevenção ou diminuição desta complicação refletirá na melhoria da qualidade de vida e na readaptação do paciente à sua vida familiar e social.

Palavras-chave: atividades cotidianas, dor/complicações, traumatismos da medula espinal

8 - Melhora na qualidade de vida e da dor referida em trabalhadores com síndrome do impacto após aplicação do método Isostretching

Improvement in the quality of life and pain intensity among workers with shoulder impingement syndrome after application of the Isostretching method

Érica Carvalho Barbosa; Claudia Maria Peres; Sérgio Roberto de Lucca; José Inácio de Oliveira

Acta Fisiátr.2012;19(3):178-183

Entre os Distúrbios Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT), a Síndrome do Impacto do ombro (SI) é a principal causa de incapacidade para o trabalho. Além do afastamento do trabalho, muitos casos necessitam de tratamento fisioterapêutico. O método Isostretching pode ser uma das alternativas e pode contribuir para a melhora da qualidade de vida dos trabalhadores com SI.
OBJETIVO: Verificar os efeitos da aplicação de um protocolo de tratamento baseado no método Isostretching, em indivíduos portadores de SI, na melhora da qualidade de vida e intensidade da dor.
MÉTODO: Mediante a analise de prontuários de pacientes, em tratamento no ambulatório de medicina do trabalho e outros ambulatórios da Unicamp, foram selecionados 30 voluntários, submetidos á aplicação de 12 sessões de fisioterapia com o método Isostretching, durante 6 semanas. Os voluntários foram avaliados antes e após o protocolo proposto através do questionário de qualidade de vida SF-36 e escala visual numérica de dor. Os dados foram analisados mediante uma análise de variâncias (ANOVA), o qual foi realizado através do software R, versão 2.12.0.
RESULTADOS: Os obtidos no questionário de qualidade de vida SF-36 mostraram diferenças estatisticamente significantes (p < 0,05) para a maioria dos domínios. Na escala visual numérica, de zero a dez, o valor médio foi de 6,63 pré-tratamento e, no pós-tratamento foi de 3,23 pontos, foi significativo (p < 0,05).
CONCLUSÃO: O protocolo proposto foi eficaz na melhora da qualidade de vida e na diminuição do quadro álgico do grupo de voluntários estudado.

Palavras-chave: dor, qualidade de vida, síndrome de colisão do ombro, trabalhadores

ARTIGO DE REVISÃO

9 - Efetividade da escola postural em portadores de dor lombar crônica inespecífica

Effectiveness of back school in patients with chronic nonspecific low back pain

Adriane Vieira; Rafaela de Macedo Braga; Patrícia Thurow Bartz; Claudia Tarragô Candotti

Acta Fisiátr.2012;19(3):184-191

As dores na coluna afetam em torno de 70% a 80% da população adulta em algum momento da vida e são consideradas uma das razões mais comuns de aposentadoria precoce por incapacidade total ou parcial. O alto custo dos tratamentos e a falta de eficácia das práticas terapêuticas convencionais deram origem à Escola Postural (EP).
OBJETIVO: Realizar uma revisão sistemática da literatura nos últimos dez anos a fim de verificar a efetividade da Escola Postural em portadores de dor lombar crônica inespecífica.
MÉTODO: A busca foi conduzida nas bases de dados computadorizadas Medline, Embase e Lilacs. Os critérios de busca nas três bases de dados foram artigos randomizados sobre a efetividade da Escola Postural publicados nos últimos dez anos. A qualidade metodológica dos estudos selecionados nesta revisão foi avaliada através de um conjunto composto por nove critérios.
RESULTADOS: No total, cinco estudos foram incluídos nessa revisão, sendo quatro considerados de alta qualidade. Dois dos artigos considerados nesse estudo foram realizados no Brasil, mostrando o interesse de pesquisadores no país por essa proposta educativa na abordagem de dor lombar crônica inespecífica. Todos os estudos apresentaram resultados positivos quanto à efetividade da Escola Postural a curto e médio prazo.
CONCLUSÃO: Com esta revisão, pode-se concluir que os programas de Escola Postural vêm sendo considerados como uma ferramenta importante tanto no tratamento como na prevenção de dor lombar crônica inespecífica, porém são necessários mais estudos que avaliem essa ferramenta no longo prazo e com procedimentos metodológicos padronizados.

Palavras-chave: dor lombar, postura, qualidade de vida

10 - Efeitos da oclusão vascular parcial no ganho de força muscular

The effects of partial vascular occlusion on gaining muscle strength

Gabriela Perpétua Neves da Costa; Valéria Perpétua Moreira; Amir Curcio dos Reis; Saulo Nani Leite; Samuel Straceri Lodovichi

Acta Fisiátr.2012;19(3):192-197

OBJETIVO: Investigar os efeitos do exercício resistido de baixa intensidade associado à oclusão vascular no ganho de força e volume muscular.
MÉTODO: Foi realizada uma busca sistematizada nos bancos de dados eletrônicos: Science Direct, PEDro e Pubmed, onde foram revisados somente ensaios clínicos randomizados e com pontuação acima de 50% de acordo com a escala de PEDro.
RESULTADOS: Durante a pesquisa foram pré-selecionados e analisados 440 artigos e ao final da seleção, sete artigos preencheram todos os critérios de inclusão e especificações estabelecidas.
CONCLUSÃO: Conclui-se que o exercício de baixa intensidade com oclusão sanguínea é uma alternativa eficaz na indução de hipertrofia muscular, sendo vista como uma nova possibilidade de treinamento muscular orientado para jovens e idosos saudáveis. No entanto, há necessidade de realizar novos estudos, pois ainda existem pontos que permanecem sem explicação, como dor e desconforto durante o treinamento.

Palavras-chave: exercício, força muscular, hipertrofia

Número atual: Dezembro 2012 - Volume 19  - Número 4

ARTIGO ORIGINAL

1 - O impacto de dois diferentes programas de exercício físico na performance física e na fadiga relacionada ao câncer

Impact of two different exercise programs on persistent cancer-related fatigue and physical fitness

Fabiana Reis; Rebeca Boltes Cecatto; Christina May Moran de Brito; Paulo Marcelo Gehm Hoff; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr.2012;19(4):198-202

A fadiga relacionada ao câncer é um dos sintomas mais comuns entre pacientes com câncer, relatada em 70% a 100% desses pacientes resultando em uma redução significativa da qualidade de vida, funcionalidade e independência. O exercício físico tem sido identificado como um elemento central de reabilitação de muitas doenças crônicas como câncer, e cada vez mais evidências apoiam a tese de que a atividade física é uma intervenção útil, que pode ser utilizada em conjunto com terapias convencionais durante o tratamento da fadiga relacionada ao câncer.
OBJETIVO: O objetivo deste estudo é avaliar o impacto de dois programas de exercício físico sobre os níveis de fadiga e desempenho físico de pacientes com câncer.
MÉTODO: Relato de uma série consecutiva de 44 doentes adultos com doença neoplásica (sólido ou hematológicas), e diagnóstico médico de fadiga, submetidos a dois diferentes programas de exercício físico. Todos os doentes foram avaliados quanto a desempenho físico com o uso do teste de caminhada de 6 minutos e avaliados quanto aos níveis de fadiga com o teste de Piper, antes e depois de 4 meses de atividade física supervisionada (exercícios aeróbicos isolados e treino de resistência combinado ao exercícios aeróbicos).
RESULTADOS: Após 16 semanas, os doentes que participaram do programa de exercícios aeróbicos ou que participaram do protocolo de exercício aeróbico combinado com anaeróbio, relataram níveis significativamente mais elevados do desempenho físico (6 minutos teste de caminhada, p = 0,0009 e p = 0,001, respectivamente) e níveis de fadiga significativamente menor (PFS- R, p = 0,003 e p = 0,002, respectivamente) do que no início do programa de exercícios.
CONCLUSÃO: Estes resultados demonstram que tanto um protocolo de exercício aeróbico quanto de exercício aeróbico combinado com exercício anaeróbio apresentam melhora significativa do desempenho físico e dos níveis de fadiga de doentes oncológicos. Os dados deste estudo corroboram a literatura mostrando que a atividade física é uma estratégia eficaz para o tratamento da fadiga. Os resultados deste estudo confirmam que o exercício físico pode ser útil na reabilitação de sobreviventes de câncer, especialmente para pacientes com fadiga oncológica.

Palavras-chave: aptidão física, exercício, fadiga, neoplasias, reabilitação

2 - Estimulação elétrica funcional na recuperação do membro superior de hemiparéticos após acidente vascular encefálico

Functional electrical stimulation in upper extremity recovery of hemiparetic patients after stroke

Antonio Vinicius Soares; Leila Poluceno; Caroline da Rosa Cremonini; Priscila Baracho Ponsoni; Susana Cristina Domenech; Noé Gomes Borges Júnior

Acta Fisiátr.2012;19(4):203-206

A reabilitação do membro superior de pacientes hemiparéticos por acidente vascular encefálico (AVE) é um grande desafio. Dentre os recursos terapêuticos utilizados, a estimulação elétrica funcional (EEF) tem sido um recurso bastante explorado nos programas de tratamento desses pacientes.
OBJETIVO: Avaliar os efeitos da EEF nos extensores de punho e dedos numa tarefa especifica (TE).
MÉTODO: Foi realizado um estudo pré-experimental (pré e pós-testes) com oito pacientes crônicos com idade média de 63,4 ± 6,1 anos. Os parâmetros de avaliação foram a motricidade da mão através da escala de movimentos da mão (EMM), a força de preensão pela dinamometria (Din), a destreza do membro superior pelos testes de caixa e blocos (CB) e dos 9 pinos e buracos (9PB), a espasticidade pela escala de Ashworth modificada (EAM) e a independência funcional pelo índice de Barthel (IB). A TE era realizar o movimento de alcance e preensão de garrafas plásticas de diferentes tamanhos com o membro superior afetado em diferentes combinações de posições, num total máximo de 54 repetições por sessão. A EEF era usada para auxiliar a mão para pegar e soltar o objeto durante a TE. Foram realizadas em média 20 sessões com frequência de 2x/semana.
RESULTADOS: Demonstraram melhora em todos os parâmetros avaliados, a diferença foi estatisticamente significativa nos testes, exceto para a Din.
CONCLUSÃO: No grupo estudado, a EEF na TE proposta resultou em melhora o desempenho na função do membro superior dos pacientes submetidos ao tratamento.

Palavras-chave: acidente vascular cerebral, destreza motora, estimulação elétrica, paresia, reabilitação

3 - Implicações das alterações de cognição social no processo de reabilitação global do paciente vítima de traumatismo crânioencefálico

Implications of changes in social cognition in the general rehabilitation process of patients with traumatic brain injury

Sheila Cruz; Sandra Regina Schewinsky; Vera Lúcia Rodrigues Alves

Acta Fisiátr.2012;19(4):207-215

A cognição social pode ser compreendida como o funcionamento dos processos cognitivos aplicados aos relacionamentos, modulando a resposta comportamental dos seres humanos dentro de um grupo social.
OBJETIVO: Nesta perspectiva, o presente trabalho tem como objetivo rever os conceitos de cognição social e suas alterações em vítimas de traumatismo crânio-encefálico com lesões na região frontal e as implicações dessas na afetividade do sujeito, bem como, as influências no processo de reabilitação global. A relevância do estudo deve-se ao fato de que atualmente existe um número crescente de pessoas acometidas por lesões neurológicas, vítimas de suas implicações.
MÉTODO: Para esta finalidade, a metodologia utilizada foi a de revisão bibliográfica que considerou livros e artigos nacionais sobre o tema publicados no período de 1994 a 2011.
RESULTADOS: A discussão visa contribuir para maior entendimento dos prejuízos do acometimento neurológico, podendo assim colaborar com o processo de reabilitação e com uma melhor qualidade de vida desses pacientes.
CONCLUSÃO: Conclui-se que a alteração de cognição social e afetividade trazem implicações diversas no que tange ao desenvolvimento do programa de reabilitação, sendo relevante considerar nesses casos, a reabilitação neuropsicológica como um processo que propicia o reestabelecimento das relações sociais, sendo papel do psicólogo auxiliar na construção de estratégias de enfrentamento da condição atual das pessoas que sofreram esse acometimento visando proporcionar-lhes uma melhor qualidade de vida.

Palavras-chave: cognição, reabilitação, traumatismos craniocerebrais

4 - Correlação entre os testes Pick-Up de Moberg e a estesiometria após reconstrução do nervo mediano

Correlation between Moberg Pick-Up test and sensation threshold test after median nerve reconstruction

Alexandre Marcio Marcolino; Rafael Inacio Barbosa; Daniela Neto Aguiar de Souza; Rafaela de Barros Rebelo; Priscila Martins Delgado; Nilton Mazzer; Valéria Meirelles Carril Elui; Marisa de Cássia Registro Fonseca

Acta Fisiátr.2012;19(4):216-221

A avaliação funcional da sensibilidade é essencial para analisar o estado, recuperação, e efetividade do programa de tratamento em pacientes que sofreram perdas decorrentes de deficiência motora e/ou sensitiva, após lesões nervosas periféricas. Estas lesões geram a interrupção das sensações ocasionando a perda da sensibilidade e uma significante perda funcional da mão.
OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi correlacionar o teste funcional Pick-Up de Moberg com o teste de limiar sensitivo Estesiômetro SORRI® na reconstrução do nervo mediano.
MÉTODO: Foram analisados 14 homens com idade entre 18 e 40 anos que sofreram ferimento corto-contuso na região volar do punho e tratamento cirúrgico há pelo menos um ano de pós-operatório. Foram utilizados para a avaliação da sensibilidade cutânea o Estesiômetro SORRI® e o teste Pick-Up de Moberg modificado, no qual a avaliação foi dividida em duas fases, olhos abertos e fechados, ambas realizadas com a mão dominante e não dominante, e em duas etapas com diferentes avaliadores, sendo repetidas três vezes em cada mão. A sequência dos avaliadores foi sorteada e mantida durante toda a avaliação. Na análise dos dados foi utilizado o coeficiente de Pearson e aplicado o teste não-paramétrico de Mann-Whitney com o nível de significância α = 0,05.
RESULTADOS: A média da idade foi de 27,14 anos (± 6,43), com maior frequência entre 21 a 30 anos sendo que 64% apresentaram lesão na mão dominante. O coeficiente de Pearson (r) entre o Estesiômetro e o Pick-Up foi entre 0,5 e 0,7, com p-valor < 0,05. Os intervalos de confiança e p-valores dos testes de Mann-Whitney não indicaram diferenças estatisticamente significantes.
CONCLUSÃO: Apesar do teste Pick-Up de Moberg não possuir medidas padronizadas, na amostra estudada pode-se concluir que existe correlação entre o teste funcional e o teste de limiar sensitivo. Novos estudos são necessários para a validação e confiabilidade de ambos os métodos.

Palavras-chave: mão, reabilitação, traumatismos dos nervos periféricos

5 - A percepção emocional do cuidador familiar frente à técnica do cateterismo intermitente limpo na mielomeningocele

Emotional perception of family-member caregivers regarding the clean intermittent catheterization in myelomeningocele cases

Regina Célia Villa Costa; Elizabete Tsubomi Saito Guiotoku; Helena Kravchychyn; Juliana Rocha; Mariana Magalhães do Carmo; Yara Pisanelli Gustavo Castro

Acta Fisiátr.2012;19(4):222-227

Os cuidados do trato urinário necessários à criança com mielomeningocele demandam auxílio constante de um cuidador, que frequentemente é um membro da família e que por vezes vivencia dúvidas, angústias e dificuldades com relação à técnica do cateterismo intermitente limpo que se faz necessário para essas crianças.
OBJETIVO: Dessa forma, esta pesquisa tem como objetivo investigar pensamentos e sentimentos do cuidador familiar sobre a realização dessa técnica na criança e analisar se o cuidador visualiza a possibilidade da criança fazer o autocateterismo no futuro.
MÉTODO: O estudo tem abordagem quantitativa e qualitativa, observacional e transversal. Realizado com 15 cuidadores familiares provenientes de uma instituição de reabilitação da cidade de São Paulo, de abril a agosto de 2012, por meio de entrevista estruturada gravada em áudio. Para a análise de conteúdo e léxica das questões abertas usou-se o software SPAD-T® versão 1.5.
RESULTADOS: As categorias encontradas foram: Impressões do cuidador sobre o cateterismo; Tempo de adaptação ao procedimento; Percepções do cuidador sobre as impressões da criança; Referências à intervenção do profissional; Percepções do cuidador sobre o autocateterismo; Percepções do cuidador sobre o potencial da criança; Referências à (in)dependência na relação cuidador-criança. Para a análise estatística utilizou-se o software SPSS® 15.0.
CONCLUSÃO: Todos os cuidadores apresentaram sentimentos e pensamentos negativos a respeito do cateterismo, apesar de alguns também mencionarem conteúdos positivos. Além disso, a maior parte dos cuidadores não soube responder com clareza se a criança realizará o autocateterismo futuramente.

Palavras-chave: cateterismo urinário, cuidado da criança, cuidadores, meningomielocele

6 - Práticas de autocuidado para funcionamento intestinal em um grupo de pacientes com trauma raquimedular

Self-care practice for bowel functioning in a group of patients with spinal cord injury

Laura Terenciani Campoy; Soraia Assad Nasbine Rabeh; Paula Cristina Nogueira; Patrícia Carla Vianna; Margareth Yuri Miyazaki

Acta Fisiátr.2012;19(4):228-232

Estudo descritivo exploratório.
OBJETIVO: Caracterizar os indivíduos com trauma raquimedular (TRM) atendidos em um centro de reabilitação de um hospital terciário do interior do estado de São Paulo e identificar as suas práticas de autocuidado intestinal.
MÉTODO: Após a aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa e o consentimento dos participantes, os dados foram coletados por meio de análise do prontuário e entrevista. Dos 30 indivíduos entrevistados, houve predomínio do sexo masculino, estado civil solteiro, ensino médio completo, com idade média de 35 anos.
RESULTADOS: A principal causa do TRM foi acidente automotor com prevalência de lesão completa em nível cervical. As práticas de autocuidado mais referidas foram o controle nutricional seguido da massagem abdominal. Quanto às complicações intestinais relatadas, houve predomínio de impactação fecal seguida por incontinência fecal.
CONCLUSÃO: Programa de reabilitação intestinal deve ser instituído para indivíduos com TRM o mais precoce possível de modo a minimizar complicações.

Palavras-chave: atividades cotidianas, intestino neurogênico, reabilitação, traumatismos da medula espinal

7 - Capacidade funcional do idoso frequentador do Programa Saúde da Família do bairro Viveiros do município de Feira de Santana, Bahia

Functional capacity of elderly people attending the Family Health Program at Viveiros, Feira de Santana, Bahia

Priscilla Oliveira Santos; Ivana Soares da Silva; Menilde Araújo Silva

Acta Fisiátr.2012;19(4):233-236

Com o avançar da idade, as perdas funcionais tornam-se evidentes e o idoso vai deixando de realizar atividades básicas de vida, diminuindo assim sua capacidade funcional que é dimensionada em termos de habilidade e independência para realizar determinadas atividades diárias.
OBJETIVO: Verificar o nível de capacidade funcional do idoso frequentador do Programa Saúde da Família do Bairro Viveiros do município de Feira de Santana-BA.
MÉTODO: Este estudo é uma pesquisa de corte transversal, com abordagem quantitativa. A amostra foi constituída por 34 idosos de ambos os sexos, com idade acima de 75 anos. Foi realizado visita domiciliar a cada idoso para aplicação de três tipos de testes: Índice de Barthel, Índice de Lawton e o Mini Exame do Estado Mental.
RESULTADOS: Os resultados encontrados demonstram que 54,5% dos idosos avaliados apresentaram-se como independentes para o Índice de Barthel, 51,5% são totalmente dependentes para o Índice de Lowton e 87,9% apresentam algum tipo de déficit cognitivo para o Mini Exame do Estado Mental.
CONCLUSÃO: É importante que os profissionais que atuam em Programas de Saúde da Família atentem para as condições de saúde do idoso, planejando a assistência de acordo com suas reais necessidades. Esperamos que outros pesquisadores se interessem pelo tema proposto, com o objetivo de ampliar pesquisas nesta área do conhecimento, que encontram-se escassas, para que o idoso receba mais atenção e orientações, ampliando a oferta de serviços e programas disponíveis.

Palavras-chave: atividades cotidianas, envelhecimento, idoso fragilizado, programa saúde da família

8 - Abordagem das atividades funcionais e da influência dos fatores ambientais em pacientes hemiparéticos pós-AVE antes e após o tratamento fisioterapêutico

Addressing functional activities and the influence of environmental factors in post-stroke hemiparetic patients before and after physical therapy

Geovanna Lemos Lopes; Luciana Castaneda; Luciane Lobato Sobral

Acta Fisiátr.2012;19(4):237-242

O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é a principal causa de incapacidade neurológica, sendo a hemiparesia a sequela mais comum da doença. As limitações físico-funcionais associadas à influência de fatores ambientais afetam diretamente a funcionalidade dos indivíduos. Para a efetividade da reabilitação neurológica é indispensável que o fisioterapeuta conheça o perfil funcional do paciente a fim de traçar o plano de tratamento que atenda as reais necessidades.
OBJETIVO: Analisar as atividades funcionais e a influência dos fatores ambientais em pacientes hemiparéticos pós-AVE antes e após o tratamento fisioterapêutico.
MÉTODO: Foram avaliados 12 pacientes hemiparéticos pós-AVE antes e após 20 sessões de fisioterapia, utilizando-se o Índice de Barthel (IB) e um modelo avaliativo baseado no core set abreviado da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) para AVE, com base no sistema de qualificadores genéricos da CIF.
RESULTADOS: Observou-se melhora significativa para as atividades andar (d450) (p = 0,0033), vestir (d540) (p = 0,018) e comer (d550) (p = 0,018), de acordo com um modelo avaliativo baseado na CIF. Por meio do IB, detectou-se melhora significativa para as atividades de alimentação (p = 0,0341), vestir (p = 0,0277), toalete (p = 0,0117) e subir/descer escadas (p = 0,0077). Os fatores ambientais família imediata (e310) e profissionais da saúde (e355) foram os que mais influenciaram positivamente na condição de saúde dos pacientes.
CONCLUSÃO: A Fisioterapia mostrou-se eficaz para melhorar a condição de saúde dos pacientes, visto que de acordo com a percepção deles algumas atividades diárias puderam ser executadas com mais facilidade ao final do tratamento fisioterapêutico. Para atender às necessidades do paciente, é importante elaborar o plano de tratamento individual, ressaltando o contexto em que ele está inserido, visando atender as reais limitações nas atividades e restrições à participação.

Palavras-chave: acidente vascular encefálico/reabilitação, coleta de dados, questionários, Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde

RELATO DE CASO

9 - Polineuropatia sensitiva induzida por talidomida e estudo eletrofisiológico do nervo sural como forma de screening diagnóstico: relato de caso

Thalidomide-induced sensory polyneuropathy and electrophysiological study of the sural nerve as a screening diagnosis: a case report

Rodrigo Luiz Yamamoto; Tae Mo Chung; Eduardo Freire de Oliveira; Arquimedes de Moura Ramos; Lucas Martins de Exel Nunes; Jose Alcyr Exel Nunes

Acta Fisiátr.2012;19(4):243-245

Polineuropatia é uma condição clínica freqüente com sintomatologia debilitante e o tratamento depende fundamentalmente da etiologia. Inúmeras são as causas possíveis deste tipo de distúrbio e o diagnóstico etiológico nem sempre é fácil. Neste relato de caso descrevemos um caso de um paciente com mieloma múltiplo que evoluiu com polineuropatia puramente sensitiva, comprovada por estudo eletrofisiológico, induzida por talidomida.

Palavras-chave: nervo sural, polineuropatias, processos eletrofisiológicos, reabilitação, talidomida

ARTIGO DE REVISÃO

10 - A estimulação elétrica funcional (FES) e a plasticidade do sistema nervoso central: revisão histórica

Functional electrical stimulation (FES) and neuronal plasticity: a historical review

Rebeca Boltes Cecatto; Gerson Chadi

Acta Fisiátr.2012;19(4):246-257

Estudos têm revelado modificações plásticas neuronais concomitantes a melhora clínica de pacientes portadores de lesões neurológicas e submetidos às terapias de estimulação, sugerindo que as respostas plásticas observadas no tecido neuronal podem refletir a recuperação funcional encontrada e ser dependentes, pelo menos em parte, da estimulação externa. A literatura já indica também que as terapias de reabilitação mais promissoras são aquelas que interagem com as características plásticas naturais do SNC, encontrando no potencial endógeno de recuperação do tecido lesado o substrato anatômico necessário para a sua atuação. A interpretação desses resultados permanece ambígua, já que há uma grande variabilidade nas respostas neurofisiológicas e comportamentais para as técnicas de estimulação estudadas. Nesse sentido, uma nova área de atuação surge como perspectiva futura promissora no entendimento dos mecanismos que regulam a recuperação funcional após lesões neurológicas: o uso terapêutico da estimulação da plasticidade do SNC. Por exemplo com o uso de terapias de estimulação sensitiva, terapias baseadas na robótica e na realidade virtual e as terapias de neuromodulação baseadas na estimulação cortical direta, na estimulação com o TMS e na estimulação elétrica funcional periférica (FES).
OBJETIVO: Este estudo tem por objetivo realizar uma revisão histórica da literatura para pontuar os principais marcos no estudo da estimulação elétrica periférica e de seus possíveis efeitos no SNC, sobretudo em relação a FES.
MÉTODO: Foi utilizada a base de dados PUBMED e foram selecionados 169 artigos de melhor rigor metodológico, maior relevância histórica e maior contribuição na construção dos paradigmas que norteiam o estudo dos efeitos da FES na plasticidade do sistema nervoso central.
RESULTADOS: A FES pode ser encarada como uma técnica promissora na recuperação motora de doentes com sequela de alterações neurológicas de origem central tanto pela sua capacidade de levar a um treino funcional e melhora clínica sensitivomotora, aspectos já consagrados na literatura, quanto pela sua capacidade de interagir com a plasticidade do SNC, um aspecto que ainda precisa ser estudado.

Palavras-chave: estimulação elétrica, plasticidade neuronal, reabilitação, revisão

Revista Associada

Logo Associação Brasileira de Editores Científicos

©2017 Acta Fisiátrica - Todos os Direitos Reservados

Logo Acta Fisiátrica

Logo GN1