ISSN 0104-7795 Versão Impressa
ISSN 2317-0190 Versão Online

Logo do Instituto de Medicina Física e Reabilitação HC FMUSP

Número atual: Setembro 2012 - Volume 19  - Número 3

ARTIGO ORIGINAL

1 - Novos tempos, novas práticas: os desafios na formação dos profissionais de terapia ocupacional

New times, new practices: challenges in the training of occupational therapy

Isa de Jesus Coutinho; Karla Ribeiro dos Santos; Ana Joaquina das Mercês Mariani Passos

Acta Fisiátr. 2012;19(3):138-141

A Aprendizagem Baseada em Problemas ABP é um método de ensino-aprendizagem que se baseia em problemas reais ou simulados, focalizando conhecimentos, habilidades, atitudes e valores. Embora várias universidades no mundo tenham experimentado essa metodologia, poucos estudos trazem resultados sobre a sua utilização.
OBJETIVO: Esta pesquisa tem como objetivo descrever a experiência com a ABP no curso de Terapia Ocupacional da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP) em Salvador/Bahia.
MÉTODO: Trata-se de uma abordagem qualitativa, que envolveu dezessete alunas do sexto semestre do curso de Terapia Ocupacional. Um instrumento padrão foi elaborado previamente para a pesquisa contendo sete questões.
RESULTADOS: Os principais resultados indicaram o uso da metodologia como positivo para a formação do terapeuta ocupacional, mas também o aspecto desafiador que o método apresenta para o aluno iniciante, além da necessidade de melhoria na formação profissional dos docentes envolvidos em sua aplicação.
CONCLUSÃO: A insegurança dos participantes em gerir o próprio conhecimento, ou seja, a qualidade e necessidade do que foi aprendido - o "aprender a aprender, o aprender a ser e o aprender a fazer" - também foi sinalizada.

Palavras-chave: aprendizagem baseada em problemas, educação superior, terapia ocupacional

2 - Conceito Halliwick inclusão e participação através das atividades aquáticas funcionais

The Halliwick Concept, inclusion and participation through aquatic functional activities

Mauricio Koprowski Garcia; Edenilson Cordeiro Joares; Marcelo Alves Silva; Renato Rocha Bissolotti; Suzana Oliveira; Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr. 2012;19(3):142-150

Este trabalho apresenta os resultados qualitativos e quantitativos de um grupo 674 usuários que por 12 meses participaram do Projeto Halliwick - atividades aquáticas funcionais - do Instituto de Medicina Física e Reabilitação do Hospital das Clínicas FMUSP e suas amplas repercussões na vida da pessoa com deficiência. O conceito Halliwick foi desenvolvido em 1949 por James McMillan na Inglaterra e está fundamentado em princípios da hidrostática, hidrodinâmica e na mecânica dos corpos na água.
OBJETIVO: O Programa dos 10 Pontos do conceito Halliwick é a aplicação prática e fornece estrutura aos processos de ensinar e aprender com segurança, lógica e progressivamente.
MÉTODO: O trabalho se desenvolve em grupos que motivam e favorecem a interação social, ao mesmo tempo que otimizam o aprendizado. O Halliwick introduz a água como um novo fator ambiental para se trabalhar estratégias do movimento e controle motor de forma diferente. Os atributos da piscina, especificamente as propriedades físicas de água, promovem o bem estar de estruturas físicas e função corporal, independência funcional, novos padrões de movimentos, entendimento de diferentes conceitos sobre motricidade, processamento sensorial, aprendizado cognitivo, organização de padrões de movimentos e controle de atividades diversas. A fisiologia da imersão responde pela ativação de orgãos e sistemas do corpo melhorando seus desempenhos.
RESULTADOS: Com apoio da Associação Halliwick Internacional e Associação Brasil Halliwick o projeto, pioneiro no país, possibilitou atendimento a milhares de usuários garantindo acesso igualitário, pois foca a inclusão e participação da pessoa com e sem deficiência.
CONCLUSÃO: A característica holística do Halliwick influenciou sobre maneira o tradicional ensino de natação e trouxe uma série de refinamentos às técnicas de hidroterapia, demonstrando que programas terapêuticos e recreativos combinados oferecem uma reabilitação contínua para todas as pessoas. Ainda permite o alcance do máximo potencial, trazendo benefícios físicos, psicológicos e social.

Palavras-chave: hidroterapia, imersão, pessoas com deficiência, reabilitação, terapia por exercício

3 - Aptidão motora e atenção em dependentes de drogas psicotrópicas ilícitas

Motor ability and attention span among individuals dependent on illicit psychotropic drugs

André Luiz Bertoncini de Souza; Júlia Magnus Cintrão; Maria Eduarda Merlin da Silva; Adriana Coutinho de Azevedo Guimarães; Silvia Rosane Parcias

Acta Fisiátr. 2012;19(3):151-155

As substâncias psicoativas atuam no sistema nervoso central produzindo alterações mentais e de comportamento levando a manifestações clínicas associadas ao uso abusivo de drogas.
OBJETIVO: Avaliar a aptidão motora e a atenção em indivíduos dependentes de drogas psicotrópicas ilícitas, que se encontravam internados em Hospital Psiquiátrico.
MÉTODO: Estudo de caso único, cuja unidade de análise foi uma unidade hospitalar, o qual avaliou a aptidão motora e a atenção em 10 indivíduos dependentes de drogas psicotrópicas ilícitas, do sexo masculino, com média de idade de 31,9 ± 7,07 anos e média de internação de 23,9 dias. Utilizados os seguintes instrumentos: entrevista estruturada sócio-demográfica e Escala Motora para Terceira Idade (EMTI) adaptada e Teste de Traços (TMT A e B). A idade média de início do consumo 15,1 anos; maior tempo de execução do TMT A e B em todas as faixas etárias.
RESULTADOS: Na aptidão motora geral os indivíduos foram classificados: dois como "superior", dois "normal alto", cinco "normal médio" e um "inferior". A organização temporal foi a variável com desempenho mais baixo.
CONCLUSÃO: Foi encontrado déficit na atenção, com média da aptidão motora geral normal e forte associação negativa ou correlação entre o desempenho motor e atenção.

Palavras-chave: atenção, atividade motora, transtornos relacionados ao uso de substâncias

4 - Independência funcional de idosas residentes em instituições de longa permanência

Functional independence in elderly residents in long-term institutions

Flávia Ravany Carneiro; Ismênia de Carvalho Brasileiro; Thiago Brasileiro de Vasconcelos; Vanessa da Ponte Arruda; Raquel Sampaio Florêncio; Thereza Maria Magalhães Moreira

Acta Fisiátr. 2012;19(3):156-160

OBJETIVO: Avaliar a independência funcional de idosas institucionalizadas no município de Fortaleza - CE.
MÉTODO: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo com abordagem quantitativa, realizado com 59 idosas residentes em duas Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI) no município de Fortaleza - CE, durante o segundo semestre de 2010. O instrumento de avaliação inicial foi constituído por dados pessoais, sócio-demográficos e clínicos. Além disso, foi aplicada a Medida de Independência Funcional (MIF), visando medir o grau de necessidade de cuidados para tarefas motoras e cognitivas.
RESULTADOS: As idosas apresentavam 8,32 (± 9,46) anos de institucionalização. A idade média das participantes foi de 76,72 (± 9,81) anos. A maioria do grupo alimenta-se de modo independente, bem como realizam higiene pessoal e tomam banho. Quanto à locomoção 50,85% deslocam-se sem ajuda, e 62,71% só conseguem subir escadas com auxílio. Quanto à cognição social, possuem boa comunicação, 49,15% não precisam de ajuda para compreender palavras, 62,71% se expressam livremente, e 50,85% possuem déficit de memória.
CONCLUSÃO: As idosas se mostraram independentes, uma vez que são capazes de desempenhar atividades como alimentação, higiene pessoal, banho, mobilidade, e possuem controle esfincteriano sem auxílio. São dependentes de auxílio relacionados à memória e à locomoção em escadas.

Palavras-chave: avaliação em saúde, habitação para idosos, idoso, saúde do idoso institucionalizado

5 - Restrição visual e oscilações corporais ântero-posteriores na doença de Parkinson

Visual restriction and anterior-posterior body oscillations in Parkinson's disease

Mônica Del Rosario Sánchez-Arias; Ana Francisca Rozin Kleiner; Ágata Yoko Yasue Hamanaka; Paulo Roberto Pereira Santiago; Lilian Teresa Bucken Gobbi; Florindo Stella

Acta Fisiátr. 2012;19(3):161-166

Sem visão poucos ajustes antecipatórios e/ou compensatórios ocorrem na doença de Parkinson e as evidências destes ajustes são menores quando a evolução da doença e as oscilações corporais são consideradas.
OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi evidenciar os efeitos da restrição visual sobre os ângulos das oscilações corporais ântero-posteriores na postura ereta de parkinsonianos considerando os estágios inicias de evolução da doença.
MÉTODO: Dez idosos com Doença de Parkinson até o estágio 2 de Hoehn & Yahr (HY) ficaram de pé parados por 30 segundos para medir os ângulos das oscilações corporais com e sem visão.
RESULTADOS: ANOVA two-way com medidas repetidas revelou efeito principal de visão (F(1,7) = 8,931; p < 0,02).
CONCLUSÃO: Os ângulos das oscilações corporais ântero-posteriores sem visão foram maiores do que com visão, estes não diferiram entre si quanto aos estágios de HY e as condições de visão interferiram no controle da postura independente do estágio de evolução da Doença de Parkinson.

Palavras-chave: doença de parkinson, postura, transtorno de movimento estereotipado, transtornos da visão

6 - Prevalência de dor fantasma em amputados do Lar Escola São Francisco

Prevalence of phantom pain among amputees at Lar Escola São Francisco

Therezinha Rosane Chamlian; Mariana Matteis Martins Bonilha; Márcia Cristina Matos Macêdo; Flávia Rezende; Caio Augusto Pereira Leal

Acta Fisiátr. 2012;19(3):167-170

A fisiopatologia da sensação dolorosa do membro fantasma, ou da dor fantasma, é caracterizada pela reorganização do mapeamento das estruturas representadas no córtex cerebral, um processo de plasticidade sensitiva e motora. Sua presença pode interferir na reabilitação física e psicossocial do paciente amputado, comprometendo a aquisição de habilidades e a qualidade de vida.
OBJETIVO: Aferir a prevalência de dor fantasma nos pacientes amputados do Lar Escola São Francisco (LESF).
MÉTODO: Foram pesquisados os prontuários dos pacientes atendidos no Grupo de Amputações e Próteses no período de janeiro de 2005 a dezembro de 2010 e analisada a presença ou ausência de queixa de dor fantasma.
RESULTADOS: Dos 330 prontuários analisados, em dez havia referencia de queixa de dor fantasma, equivalendo à proporção de 3,3% dos pacientes.
CONCLUSÃO: A prevalência de dor fantasma foi baixa entre os amputados estudados do LESF. Sua abordagem precisa ser mais bem estudada dentro da avaliação individual do paciente amputado.

Palavras-chave: amputados, dor, membro-fantasma

7 - Estudo sobre as características da dor em pacientes com lesão medular

Study on the characteristics of pain in patients with spinal cord injury

Adriana Vieira Rodrigues; Wesley Araújo Sampaio Vidal; Joseane Andréa Lemes; Carolina Spagnuolo Gôngora; Thalita Correa Neves; Suhaila Mahmoud Smaili Santos; Roger Burgo de Souza

Acta Fisiátr. 2012;19(3):171-177

Além da perda da funcionalidade após a lesão medular (LM), a dor é tida como uma das principais complicações mais incapacitantes e vivenciadas no processo de reabilitação, mesmo com o avanço significativo na compreensão da fisiopatologia e tratamento da dor, a abordagem desse sintoma ainda é precária na lesão medular.
OBJETIVO: Descrever as características do quadro álgico nessa população e associar a dor com o tipo de lesão, interferência nas atividades de vida diária (AVD's) e o seu aparecimento.
MÉTODO: Trata-se de estudo transversal com um roteiro de entrevista semiestruturado aplicado a 77 pacientes. Foram calculadas a média e desvio padrão, frequências absolutas e relativas, para a associação entre as variáveis qualitativas foi utilizado teste Qui-quadrado (χ2).
RESULTADOS: A idade foi de 38,26 ± 12,43 anos, sendo 84,4% homens e 80,5% de paraplégicos. Trinta e um foram por acidente automobilístico e 29 por ferimento de arma de fogo, sendo 61,0% com lesão medular completa. Quanto à dor, 44,2% relataram dor severa e 29,8% a moderada, em 50,6% não sentiam dor acima da lesão e 58,4% sentiam-na abaixo. Trinta e nove relataram sentir dor em queimação, 40,0% relataram que a dor surgiu no primeiro ano após a LM. A intensidade da dor foi de 5,44 ± 3,18 pontos, sendo 5,20 ± 3,07 nos homens, 6,75 ± 3,54 nas mulheres, 4,13 ± 3,18 nos tetraplégicos e 5,76 ± 3,12 nos paraplégicos. Para 27 pacientes a dor piorou permanecendo na mesma posição, para 22 melhorou realizando fisioterapia e para 21 com a mudança de posição. Para 68,8% a dor não interferiu nas AVD's. Vinte e oito utilizaram medicação analgésica. Houve associação significativa de que a presença de dor abaixo da lesão interfere nas AVD's (p = 0,04) e surge no primeiro ano após a lesão acima e abaixo da lesão (p = 0,05 e p = 0,01), respectivamente.
CONCLUSÃO: A dor foi prevalente nos lesados medulares, mais evidenciada nas mulheres e na maioria surgiu no primeiro ano após a lesão e interfere AVD's. A fisioterapia e a mudança de posição diminuíram a dor. Portanto, as orientações e intervenções por parte da equipe multiprofissional devem ser imediatas após a lesão, pois a prevenção ou diminuição desta complicação refletirá na melhoria da qualidade de vida e na readaptação do paciente à sua vida familiar e social.

Palavras-chave: atividades cotidianas, dor/complicações, traumatismos da medula espinal

8 - Melhora na qualidade de vida e da dor referida em trabalhadores com síndrome do impacto após aplicação do método Isostretching

Improvement in the quality of life and pain intensity among workers with shoulder impingement syndrome after application of the Isostretching method

Érica Carvalho Barbosa; Claudia Maria Peres; Sérgio Roberto de Lucca; José Inácio de Oliveira

Acta Fisiátr. 2012;19(3):178-183

Entre os Distúrbios Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT), a Síndrome do Impacto do ombro (SI) é a principal causa de incapacidade para o trabalho. Além do afastamento do trabalho, muitos casos necessitam de tratamento fisioterapêutico. O método Isostretching pode ser uma das alternativas e pode contribuir para a melhora da qualidade de vida dos trabalhadores com SI.
OBJETIVO: Verificar os efeitos da aplicação de um protocolo de tratamento baseado no método Isostretching, em indivíduos portadores de SI, na melhora da qualidade de vida e intensidade da dor.
MÉTODO: Mediante a analise de prontuários de pacientes, em tratamento no ambulatório de medicina do trabalho e outros ambulatórios da Unicamp, foram selecionados 30 voluntários, submetidos á aplicação de 12 sessões de fisioterapia com o método Isostretching, durante 6 semanas. Os voluntários foram avaliados antes e após o protocolo proposto através do questionário de qualidade de vida SF-36 e escala visual numérica de dor. Os dados foram analisados mediante uma análise de variâncias (ANOVA), o qual foi realizado através do software R, versão 2.12.0.
RESULTADOS: Os obtidos no questionário de qualidade de vida SF-36 mostraram diferenças estatisticamente significantes (p < 0,05) para a maioria dos domínios. Na escala visual numérica, de zero a dez, o valor médio foi de 6,63 pré-tratamento e, no pós-tratamento foi de 3,23 pontos, foi significativo (p < 0,05).
CONCLUSÃO: O protocolo proposto foi eficaz na melhora da qualidade de vida e na diminuição do quadro álgico do grupo de voluntários estudado.

Palavras-chave: dor, qualidade de vida, síndrome de colisão do ombro, trabalhadores

ARTIGO DE REVISÃO

9 - Efetividade da escola postural em portadores de dor lombar crônica inespecífica

Effectiveness of back school in patients with chronic nonspecific low back pain

Adriane Vieira; Rafaela de Macedo Braga; Patrícia Thurow Bartz; Claudia Tarragô Candotti

Acta Fisiátr. 2012;19(3):184-191

As dores na coluna afetam em torno de 70% a 80% da população adulta em algum momento da vida e são consideradas uma das razões mais comuns de aposentadoria precoce por incapacidade total ou parcial. O alto custo dos tratamentos e a falta de eficácia das práticas terapêuticas convencionais deram origem à Escola Postural (EP).
OBJETIVO: Realizar uma revisão sistemática da literatura nos últimos dez anos a fim de verificar a efetividade da Escola Postural em portadores de dor lombar crônica inespecífica.
MÉTODO: A busca foi conduzida nas bases de dados computadorizadas Medline, Embase e Lilacs. Os critérios de busca nas três bases de dados foram artigos randomizados sobre a efetividade da Escola Postural publicados nos últimos dez anos. A qualidade metodológica dos estudos selecionados nesta revisão foi avaliada através de um conjunto composto por nove critérios.
RESULTADOS: No total, cinco estudos foram incluídos nessa revisão, sendo quatro considerados de alta qualidade. Dois dos artigos considerados nesse estudo foram realizados no Brasil, mostrando o interesse de pesquisadores no país por essa proposta educativa na abordagem de dor lombar crônica inespecífica. Todos os estudos apresentaram resultados positivos quanto à efetividade da Escola Postural a curto e médio prazo.
CONCLUSÃO: Com esta revisão, pode-se concluir que os programas de Escola Postural vêm sendo considerados como uma ferramenta importante tanto no tratamento como na prevenção de dor lombar crônica inespecífica, porém são necessários mais estudos que avaliem essa ferramenta no longo prazo e com procedimentos metodológicos padronizados.

Palavras-chave: dor lombar, postura, qualidade de vida

10 - Efeitos da oclusão vascular parcial no ganho de força muscular

The effects of partial vascular occlusion on gaining muscle strength

Gabriela Perpétua Neves da Costa; Valéria Perpétua Moreira; Amir Curcio dos Reis; Saulo Nani Leite; Samuel Straceri Lodovichi

Acta Fisiátr. 2012;19(3):192-197

OBJETIVO: Investigar os efeitos do exercício resistido de baixa intensidade associado à oclusão vascular no ganho de força e volume muscular.
MÉTODO: Foi realizada uma busca sistematizada nos bancos de dados eletrônicos: Science Direct, PEDro e Pubmed, onde foram revisados somente ensaios clínicos randomizados e com pontuação acima de 50% de acordo com a escala de PEDro.
RESULTADOS: Durante a pesquisa foram pré-selecionados e analisados 440 artigos e ao final da seleção, sete artigos preencheram todos os critérios de inclusão e especificações estabelecidas.
CONCLUSÃO: Conclui-se que o exercício de baixa intensidade com oclusão sanguínea é uma alternativa eficaz na indução de hipertrofia muscular, sendo vista como uma nova possibilidade de treinamento muscular orientado para jovens e idosos saudáveis. No entanto, há necessidade de realizar novos estudos, pois ainda existem pontos que permanecem sem explicação, como dor e desconforto durante o treinamento.

Palavras-chave: exercício, força muscular, hipertrofia

Revista Associada

Logo Associação Brasileira de Editores Científicos

©2017 Acta Fisiátrica - Todos os Direitos Reservados

Logo Acta Fisiátrica

Logo GN1