ISSN 0104-7795 Versão Impressa
ISSN 2317-0190 Versão Online

Logo do Instituto de Medicina Física e Reabilitação HC FMUSP

Número atual: Abril 1995 - Volume 2  - Número 1

EDITORIAL

1 - Uma vocação natural

Acta Fisiátr. 1995;2(1):0



ARTIGO ORIGINAL

4 - Dor pós-amputação - abordagem terapêutica

Hatsue Sakamoto

Acta Fisiátr. 1995;2(1):7-10

O tratamento da dor no coto e/ou dor fantasma após a amputação é uma tarefa difícil, pois desconhecemos a fisiopatologia e as alterações neuroquímicas que ocorrem no sistema nervoso. Ele depende do tipo de dor, o grau de severidade e o quanto incapacita o paciente; geralmente o tratamento se baseia em técnicas não invasivas por que de acordo com vários estudos, as técnicas invasivas são pouco eficazes. Além disso, qualquer intervenção cirúrgica no sistema nervoso periférico ou central, nos casos de dor por deaferentação, pode incrementar a deaferentação aumentando o risco de persistência da dor. O programa reabilitacional é a base do tratamento da dor pós-ampulação.

5 - Tratamento e follow-up da tendinite patelar (Jumper's Knee) com Eletroacupuntura Ryodoraku*

Satiko Tomikawa Imamura; Marta Imamura; Marco M. Amatuzzi; Nelson Soares

Acta Fisiátr. 1995;2(1):11-14

A tendinite da patela é uma lesão comum em atletas que utilizam repetidamente o mecanismo desacelerador do músculo extensor do joelho, como nos saltos, corridas, ciclismos e chute. Os autores apresentam os resultados do tratamento conservador de 58 doentes (66 joelhos) portadores de tendinite patelar grau 3 através da Eletroampuntura·Ryodoraku. Alívio completo da dor e retorno da dor à atividade esportiva prévia foi observado em 43 casos (74,1%). Os autores concluem que a Eletroacupuntura Ryodoraku é um método eficaz, de fácil execução e baixo custo operacional; necessitando um pequeno número de aplicações para a obtenção do alívio da dor.

Palavras-chave: Joelho. Tendão patelar. Tendinite. Eletroacupuntura. Lesões esportivas. Analgesia.

6 - Dor mielopática pós-trauma raquimedular: manejo clínico e cirúrgico

Silvia Mazzali Jorge de Souza

Acta Fisiátr. 1995;2(1):15-18



7 - Distrofia simpático reflexa no pé e tornozelo*

M. Imamura; L.A .Ignacio; O. Salomão; T. M. Chung; M. J. Teixeira; S. T. Imamura

Acta Fisiátr. 1995;2(1):19-22

A etiologia da distrofia simpático reflexa (DSR) é desconhecida, porém a teoría mais aceita é a de uma disfunção do Sistema Nervoso Simpático. Os achados clínicos caracterizam-se por dor neuropática, distúrbios nasomotores e sudomotores e alterações tróficas da pele que aumentam em estágios mais avançados. O diagnóstico é feito através da história clínica, exame físico, radiografias, cintilografia óssea e termografia. O tratamento baseia-se em meios físicos, como hidroterapia e exercícios terapêuticos. Quando há necessidade são utilizados medicamentos que interferem no sistema modulador da dor como os antidepressivos tricíclicos e os neurolépticos.
O objetivo deste estudo é o de apresentar os resultados do tratamento de 13 pacientes com DSR que foram submetidos a meios físicos e terapia medicamentosa quando necessário.

Palavras-chave: Distrofia simpático reflexa. Analgesia. Dor em membros inferiores (extremidades).

8 - Dor e fixadores externos: avaliação e tratamento

Marta Imamura; Walter H. C. Targa; Manoel J. Teixeira; Lin Tchia Yeng; Satiko T. Imamura

Acta Fisiátr. 1995;2(1):23-26

A dor é a principal causa de retardo na aquisição funcional nos doentes em uso de fixadores externos. O objetivo do presente trabalho é o de avaliar os achados clínicos e os resultados do tratamento da dor em 20 doentes portadores de dor com características neuropáticas durante a vigência do uso de fixador externo tipo Ilizarov nos membros inferiores. O tratamento consiste na utilização de medicamentos analgésicos de ação central associados a anti-inflamatórios não hormonais e medidas de medicina física que incluem compressas de gelo, termoterapia profunda com ultrassom e neuroestimulação do sistema nervoso periférico. Um doente recebeu bloqueio simpático. Os resultados demonstraram alívio sintomático da dor neuropática em 80,9% dos casos, o que possibilitou a permanência do fixador nos membros e abordagem reabilitacional intensiva objetivando ganho funcional durante a vigência do tratamento ortopédico.

Palavras-chave: Dor. Fixadores Externos. Analgesia.

ARTIGO DE REVISÃO

9 - Dor-aspectos fisiopatológicos

José Brenha Ribeiro Sobrinho

Acta Fisiátr. 1995;2(1):27-31

Neste artigo foram revistos os diversos níveis de integração do fenômeno nociceptivo, bem como o interrelacionamento da nocicepção com os demais elementos sensoriais, mnésticos e motivacionais. Enfatizou-se neste artigo o caráter multidimensional do fenômeno doloroso.

PONTO DE VISTA

10 - Algumas verdades sobre a clínica fisiátrica do ombro doloroso

R.E. de Araujo Leitão; Valéria de Araujo Leitão

Acta Fisiátr. 1995;2(1):32-33



ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL CRÔNICO: REABILITAÇÃO

11 - Resumos - Atualize-se

Acta Fisiátr. 1995;2(1):34-35



CARTAS

12 - Carta ao editor

Acta Fisiátr. 1995;2(1):0



Revista Associada

Logo Associação Brasileira de Editores Científicos

©2017 Acta Fisiátrica - Todos os Direitos Reservados

Logo Acta Fisiátrica

Logo GN1