ISSN 0104-7795 Versão Impressa
ISSN 2317-0190 Versão Online

Logo do Instituto de Medicina Física e Reabilitação HC FMUSP

Número atual: Agosto 2006 - Volume 13  - Número 2

ARTIGO ORIGINAL

1 - Identificação de broncoaspiração por disfagia orofaríngea em pacientes com pneumonia comunitária

Identification of bronchoaspiration due to oropharyngeal dysphagia in patients with community pneumonia

Yonatta Salarini Vieira Carvalho; Denise Rodrigues Xerez; Abelardo Queirós Campos de Araújo

Acta Fisiátr. 2006;13(2):59-62

A pneumonia é uma inflamação do parênquima pulmonar resultante do processo infeccioso ou inflamatório, responsável por 5% do total das mortes notificadas no mundo, instalando-se geralmente em indivíduos cujos mecanismos de defesa encontram-se comprometidos. A relação estreita entre as alterações da deglutição e a predisposição para pneumonias bacterianas de repetição e sua associação com desordens neuromusculares tem sido objeto constante de pesquisas.
OBJETIVO: propor um protocolo clínico para detecção de broncoaspiração entre pacientes com pneumonia sem realização de videofluoroscopia.
METODOLOGIA: 70 pacientes com média de idade de 67,5±16,3 anos, foram submetidos a 2 protocolos de avaliação da deglutição validados na literatura: Tohara (2003) e Xerez (2002).
RESULTADOS: Foram considerados aspiradores pelo exame clínico 62,9% (44/70). Ser classificado aspirador pelo exame clínico mostrou correlação estatística significativa com a presença de doença neurológica e redução do estado de alerta (p<0,001).
CONCLUSÃO: o exame clínico foi capaz de detectar os pacientes em risco para pneumonia aspirativa. A presença da associação de fatores deve levar a equipe a adotar cautela maior no manuseio da alimentação do paciente com pneumonia que pode ser de origem aspirativa.

Palavras-chave: pneumonia aspirativa, avaliação clínica, fonoaudiologia, deglutição, desordens neuromusculares

2 - Avaliação longitudinal da Escola de Postura para dor lombar crônica através da aplicação dos questionários Roland Morris e Short Form Health Survey (SF-36)

Longitudinal evaluation of Posture School for low back pain by the questionnaires Rolland Morris and Short Form Health Survey (SF-36)

Gracinda Rodrigues Tsukimoto; Marcelo Riberto; Carlos Alexandrino de Brito, Linamara Rizzo Battistella

Acta Fisiátr. 2006;13(2):63-69

O objetivo desse trabalho foi analisar quantitativamente a resposta ao tratamento dos pacientes com dor lombar crônica atendidos pela "Escola de Postura" da DMR-HCFMUSP no período de outubro de 2001 a julho de 2004, usando os questionários Roland-Morris (RM) e Short Form Health Survey (SF-36). A intensidade da queixa dolorosa foi avaliada pela Escala Visual Analógica (EVA). A amostra inicial foi composta por 244 prontuários de pacientes encaminhados e avaliados para a Escola de Postura no período de outubro de 2001 a julho de 2004, tendo completado o programa 110 pacientes desse total. Algum dados referentes a estes pacientes foram coletados, tais como: diagnósticos etiológico, tempo de evolução da doença e origem do encaminhamento; dados sócio-demográficos como sexo, idade, escolaridade, estado civil, ocupação; e, também, o comparecimento aos retornos após o primeiro mês, quarto mês, e um ano a contar da avaliação inicial. Observou-se que os indivíduos que concluíram a Escola de Postura apresentaram melhora significativa nos domínios do SF-36 para Capacidade Funcional, Aspectos Físicos, Dor, Estado Geral de Saúde, Vitalidade, bem como na avaliação pela EVA e questionário RM. Não foram observados ganhos estatisticamente significantes nos domínios Aspectos Sociais, Emocionais e Saúde Mental. Cabendo ressaltar que o período de alcance da Escola de Postura, não possibilita afirmar mudanças significativas quanto a aspectos afetivo-emocionais e novas posturas em seu relacionamento social. Novos estudos, quantitativos e qualitativos devem ser realizados de maneira a oferecer subsídios á equipe multiprofissional da Escola de Postura que permitam operar mudanças e ampliar recursos terapêuticos se necessário.

Palavras-chave: avaliação funcional, lombalgia, qualidade de vida, questionários, reabilitação, escola de postura.

ARTIGO DE REVISÃO

3 - Estudo da associação entre dor patelofemoral e retropé varo

Study of the association between rear-foot varus and patellofemoral pain

Claudia Venturini; Flávio Morato; Henrique Michetti; Mayra Russo; Vanice de Paula Carvalho

Acta Fisiátr. 2006;13(2):70-73

A dor patelofemoral, também denominada dor anterior do joelho está presente em 25% da população, onde 36% são adolescentes e com maior prevalência no sexo feminino e atletas.
OBJETIVO: Verificar a associação entre a presença de retropé varo a partir da posição neutra da subtalar e a dor patelofemoral.
CASUÍSTICA E MÉTODOS: Foram recrutados 10 voluntários com dor patelofemoral unilateral ou bilateral. Os voluntários foram submetidos à avaliação do alinhamento do retropé a partir da posição neutra da subtalar. Para isso, os voluntários foram posicionados em decúbito ventral, com o pé pendente para fora da mesa. Os ângulos formado pelas retas que dividem as pernas e os calcâneos ao meio foram medidas através de um goniômetro universal. O teste de Fisher foi utilizado para verificar a associação entre dor patelofemoral e varismo de retropé maior ou igual ou menor que 8 graus.
RESULTADOS: Os resultados do presente estudo demonstraram que todos os membros com grau de retropé maior que 8 (75%) apresentavam dor, totalizando 15 joelhos. Já os joelhos avaliados com retropé menor ou igual a 8; 2 (10%) apresentavam dor e 3 (15%) não apresentaram dor. Associação estatisticamente significativa entre o grau de retropé e a presença de dor foram encontrados (p= 0,009).
DISCUSSÃO: O varismo de retropé leva a pronação excessiva da subtalar associada à rotação interna da tíbia com conseqüente alteração do alinhamento do membro inferior e dor patelofemoral,
CONCLUSÃO: Os resultados desse estudo sugerem que existe a associação entre o retropé varo e a dor patelofemoral.

Palavras-chave: dor, joelho, biomecânica, tornozelo e pé

ARTIGO ORIGINAL

4 - Aplicação da versão brasileira do questionário de dor Mcgill em idosos com dor crônica

Applicability of the Brazilian version of the McGill pain questionnaire in elderly patients with chronic pain

Clarissa Cardoso dos Santos; Leani Souza Máximo Pereira; Marcos Antônio de Resende; Frederico Magno; Vanessa Aguiar.

Acta Fisiátr. 2006;13(2):75-82

A dor crônica é uma experiência multidimensional que envolve aspectos sensório-perceptual, afetivo-motivacional e cognitivo-avaliativo que se interagem e contribuem para a resposta dolorosa final. As alterações características do processo do envelhecimento em cada um desses aspectos podem interferir na experiência da dor, dificultando a sua avaliação adequada. O uso de uma escala multidimensional como o Questionário de dor McGill (MPQ) possibilita uma avaliação mais adequada desse sintoma. Os objetivos desse estudo foram verificar a confiabilidade intra e inter examinadores da aplicação do Br-MPQ em idosos com dor crônica em decorrência de doenças ortopédicas e neurológicas.Participaram desse estudo 19 idosos com doenças ortopédicas (71,21 □ 7,51 anos) e 19 idosos com doenças neurológicas (69,79 □ 5,30 anos) apresentando o diagnóstico de dor crônica, encaminhados pelo serviço médico, sem alterações cognitivas. A confiabilidade geral intra e interexaminadores nos idosos com doenças ortopédicas foram 0,86 e 0,89, respectivamente, e para idosos com doenças neurológicas de 0,71 e 0,68, respectivamente (Spearman, p<0,05). Os resultados mostraram que o Br-MPQ foi de fácil aplicação (8,54 □ 2,35 minutos) nessa amostra. O presente estudo demonstrou que o Br-MPQ pode ser mais adequado para avaliar a dor crônica em idosos, uma vez que a percepção desse sintoma está mais relacionada aos aspectos sensoriais, afetivos e cognitivo-avaliativos e não somente à intensidade.

Palavras-chave: Dor crônica, idoso, questionário de dor McGill

5 - A interferência dos aspectos percepto-cognitivos nas atividades de vida diária e nas atividades instrumentais de vida diária, em clientes com seqüelas por lesão neurológica.

The influence of the perceptual-cognitive difficulties on the activities of daily living and instrumental activities of daily living in patients with neurological injuries

Juliana Conti

Acta Fisiátr. 2006;13(2):83-86

Este artigo é um levantamento bibliográfico sobre a interferência dos aspectos percepto-cognitivos durante a realização das atividades de vida diária (AVDs) e atividades instrumentais de vida diária (AIVDs) em clientes com seqüelas por lesão neurológica. Com o objetivo de indicar o quanto esses déficits interferem na reabilitação do cliente e no retorno às atividades cotidianas, o artigo mostra que essas atividades - que aparentemente são simples e já conhecidas por eles - têm de ser aprendidas outra vez. Por outro lado, o artigo revela que não apenas esses aspectos interferem nessas tarefas durante o tratamento e no final dele (no qual o cliente apresentará uma maior ou menor independência), mas também há fatores - como os motores, emocionais, culturais, sociais, econômicos e principalmente a família - que influenciarão de maneira positiva ou negativa o cliente e seu processo de reabilitação. Para ilustrar esta pesquisa, foram apresentados três casos clínicos atendidos no serviço de Terapia Ocupacional.

Palavras-chave: terapia ocupacional, percepto-cognitivos, atividades cotidianas, reabilitação, lesão neurológica crônica

6 - Habilidades funcionais de comunicação: idoso saudável

Functional communication assessment: the healthy elderly

Flavia Helena Alves Garcia; Letícia Lessa Mansur

Acta Fisiátr. 2006;13(2):87-89

Comunicação funcional é a habilidade de receber ou emitir uma mensagem de um modo eficaz e independentemente do ambiente. O Questionário de Habilidades Funcionais de Comunicação (ASHA-Facs) é um instrumento básico de avaliação das habilidades comunicativas no ambiente natural do indivíduo, considerando compensações, adaptações e tempo necessário para a comunicação. Pode ser usado como complemento das avaliações tradicionais de linguagem para planejar orientações ao cuidador, ajudar ao clínico nas decisões e registrar estabilização de doenças ou progresso de quadros patológicos. Este artigo caracteriza o perfil comunicativo funcional do idoso saudável a partir do questionário ASHA-Facs. Sessenta e seis idosos saudáveis foram avaliados por meio de seus cuidadores (familiares). O questionário é composto de 43 itens divididos em quatro domínios: 21 itens sobre comunicação social, 7 itens de comunicação de necessidades básicas, 10 itens de leitura, escrita e conceitos numéricos e 5 itens de planejamento diário. O questionário fornece informações quantitativas em uma escala de sete pontos (sendo pontuação 7 para o indivíduo que não necessita de ajuda para realizar a atividade e pontuação 1 se houver necessidade de ajuda máxima). O desempenho dos idosos no ASHA-Facs mostrou que os idosos saudáveis atuam melhor em Comunicação Social e Necessidades Básicas. Isto sugere que os idosos compensam possíveis falhas na compreensão auditiva/expressão oral que possam ocorrer durante o declínio da função cognitiva que acontece no processo de envelhecimento normal. O desempenho no domínio de planejamento diário mostrou dificuldades nas funções executivas de planejamento e organização. Ainda, houve uma importante correlação entre a comunicação funcional e a escolaridade.

Palavras-chave: Funcionalidade, comunicação, idoso

ARTIGO DE REVISÃO

7 - Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos

Strength training benefits on the physical fitness of elderly individuals

Raphael Mendes Ritti Dias; André Luiz Demantova Gurjão; Maria de Fátima Nunes Marucci

Acta Fisiátr. 2006;13(2):90-95

O objetivo desta revisão é elucidar os benefícios do treinamento com pesos (TP) sobre quatro componentes da aptidão física (AF) fundamentais para a qualidade de vida de idosos: força, flexibilidade, equilíbrio e resistência aeróbia. Foi realizada pesquisa bibliográfica nas bases de dados PUBMED e LILACS. Foram selecionados estudos que incluíam no título os descritores: strength training, resistance training, strength, balance, flexibility, power, aerobic, older e elderly. Modificações na força muscular são observadas após poucas semanas de TP. Essa melhoria pode auxiliar não só na independência dos idosos, mas também na diminuição da incidência de quedas. Além disso, a prática sistematizada do TP promove melhoria na flexibilidade e na resistência aeróbia de idosos. As modificações no equilíbrio, após programas de TP, ainda não estão bem esclarecidas na literatura. Desta forma, o TP consiste numa importante ferramenta para a melhoria da AF de idosos, haja vista que promove adaptações na força muscular, flexibilidade e na resistência aeróbia.

Palavras-chave: envelhecimento, treinamento resistido, treinamento de força, equilíbrio, flexibilidade, resistência aeróbia

8 - Exercícios resistidos em idosos portadores de insuficiência arterial periférica

Resistance exercises in peripheral arterial diseased elders

Lucas Caseri Câmara; José Maria Santarém Sobrinho; Wilson Jacob Filho; Marcelo Hisato Kuwakino

Acta Fisiátr. 2006;13(2):96-102

O envelhecimento da população mundial propiciou o incremento das doenças crônico degenerativas, colocando a comunidade científica diante de um grande desafio na busca e escolha dos melhores e mais econômicos tratamentos. A doença arterial periférica, que surge como complicação da aterosclerose, apresenta incidência que aumenta linearmente com o avançar da idade, somando-se, portanto, a diversas outras patologias que já acometem este grupo populacional. A documentação dos benefícios em custo e eficácia, da utilização de exercícios como indicação primária para o tratamento de pacientes idosos, tornou-se excelente alternativa para este grupo populacional, que já utiliza diversas medicações, devido a outras doenças crônicas.
Os benefícios dos exercícios resistidos foram ainda pouco explorados como forma isolada de tratamento da doença arterial periférica em idosos, mas já deixam indícios que esta forma de exercícios pode e deve ser utilizada para o tratamento da patologia referida, pois pode reverter ou retardar as concomitantes alterações degenerativas que acometem seus portadores, diminuindo de forma significativa as muitas limitações impostas pela doença em associação com o envelhecimento sedentário.

Palavras-chave: levantamento de peso, terapia por exercício, claudicação intermitente, arteriosclerose, saúde do idoso

RELATO DE CASO

9 - O efeito da técnica de reeducação postural global em um paciente com hemiparesia após acidente vascular encefálico

The effect of global postural reeducation technique in a hemiparetic stroke patient

Bruna Moreira Gomes; Grace Cristina Gomes Nardoni; Priscila Garcia Lopes; Ewerson de Godoy

Acta Fisiátr. 2006;13(2):103-108

A disfunção motora mais evidente do acidente vascular encefálico (AVE) é a hemiparesia. Os pacientes hemiparéticos apresentam uma tendência em manter-se em uma posição de assimetria postural. O objetivo deste trabalho foi avaliar e tratar as alterações posturais em um paciente portador de hemiparesia após um acidente vascular encefálico utilizando a técnica de Reeducação Postural Global (RPG). O participante foi um paciente hemiparético à direita, devido a um AVE há cinco anos, com boa cognição segundo o Mini Exame do Estado Mental e comprometimento motor moderado. Para avaliação postural foi utilizado o software Fisiologic. Foram aplicadas dez sessões com a técnica de RPG durante oito semanas. Embora o tratamento tenha sido enfatizado na inclinação pélvica e posicionamento da escápula os resultados apresentaram evoluções também quanto à base de apoio e segundo o relato do paciente, melhora no equilíbrio e na marcha. Concluiu-se que a técnica de RPG proporcionou resultados positivos em relação ao padrão postural do paciente hemiparético.

Palavras-chave: Avaliação da postura, acidente cerebrovascular, hemiplegia, imagem corporal, reabilitação

Revista Associada

Logo Associação Brasileira de Editores Científicos

©2017 Acta Fisiátrica - Todos os Direitos Reservados

Logo Acta Fisiátrica

Logo GN1