ISSN 0104-7795 Versão Impressa
ISSN 2317-0190 Versão Online

Logo do Instituto de Medicina Física e Reabilitação HC FMUSP

Número atual: Junho 2008 - Volume 15  - Número 2

ARTIGO ORIGINAL

1 - Prevalência de lombalgia em garimpeiros de Serra Pelada, Pará / Brasil

Prevalence of low back pain among gold diggers in Serra Pelada, Pará / Brazil

Marcelo El Khouri; Carlos Eduardo Pereira Corbett; Quirino Cordeiro; Daniela Ota

Acta Fisiátr. 2008;15(2):82-86

O presente estudo avalia a prevalência de lombalgia em população de garimpeiros de Serra Pelada, localizada no Estado do Pará - Brasil. Considerado como um dos maiores garimpos de ouro na década de 80, havendo em torno de 100.000 pessoas envolvidas na extração do ouro. Atualmente a população local é estimada em 6000 habitantes. Através de uma avaliação médica primária populacional feita em 2002 foi realizado um estudo de corte transversal retrospectivo com a análise de dados obtidos durante esse atendimento. Foram 1.169 atendimentos, 605 do sexo masculino (51,7%), idade média de 41,4 ± 21,2 anos. 47% responderam que trabalham ou trabalharam no garimpo, com tempo médio de 10,9 ± 9,7 anos. A prevalência de lombalgia foi de 13,7% em relação ao geral dos diagnósticos. Quando comparada ao grupo de garimpeiros, a prevalência encontrada foi de 18,2% contra 10,0% em relação ao grupo de não garimpeiros (p<0,000), porém não mantendo significância estatística após a regressão logística. Estudos mais detalhados seriam necessários para tentar estabelecer as possíveis relações com dor lombar nesta população, sendo que talvez o rastreamento de antigos garimpeiros pudesse investigar melhor uma possível relação direta laboral do garimpo com lombalgia.

Palavras-chave: lombalgia, prevalência, Brasil

2 - Estudo do perfil lipídico de pacientes com fibromialgia

Study of the lipid profile of patients with fibromyalgia

Verônica Magalhães Raimundo; Thais Rodrigues Pato

Acta Fisiátr. 2008;15(2):87-91

A fibromialgia é uma síndrome caracterizada por dor musculoesquelética generalizada que acomete principalmente mulheres de meiaidade. Na literatura, alguns estudos têm relacionado doenças musculoesqueléticas com dislipidemia, porém somente um trabalho avaliou esta relação com fibromialgia. O objetivo deste estudo foi avaliar o perfil lipídico de pacientes com fibromialgia comparando-o com uma amostra de controles. Participaram do estudo 42 mulheres com fibromialgia e 42 mulheres sem queixa de dor. Não foi observada diferença entre o perfil lipídico destas populações.

Palavras-chave: fibromialgia, dor, hipercolesterolemia, hipertrigliceridemia

3 - Avaliação radiológica dos valores angulares das curvaturas lombo-lombar e lombosacra em adolescentes

Radiological assessment of the angular values of back-lumbar and sacral-lumbar curvature in adolescents

Giovanna Barros Gonçalves; João Santos Pereira

Acta Fisiátr. 2008;15(2):92-95

INTRODUÇÃO: A região lombar é de grande importância na harmonia e manutenção da postura ereta e deve ser incluída em qualquer avaliação fisioterapêutica. Devido à dificuldade em definir o que pode ser chamado de curvatura lombar normal, realizou-se este estudo com o objetivo de avaliar a lordose lombar através das medidas angulares das curvaturas lombo-lombar (L1-L5) e lombo-sacra (L1-S1), para se os estabelecerem os valores indicativos dessas curvaturas em adolescentes.
MÉTODOS: Participaram deste estudo 22 jovens assintomáticos, de ambos os sexos, com idade variando entre 14 e 18 anos. Todos os voluntários foram submetidos ao exame radiológico da região lombar em plano sagital, realizado no Hospital Doutor João Felício na cidade de Juiz de Fora/MG. As medidas das angulações das curvaturas lombares foram realizadas através da aplicação do método de Cobb diretamente sobre as radiografias.
RESULTADOS E DISCUSSÃO: Não foram observadas diferenças estatisticamente significativas em relação ao sexo para os valores angulares lombo-lombar (L1-L5) e igualmente para as angulações lombo-sacra (L1-S1). Apesar de não haver concordância na literatura em relação a análise e definição dos ângulos da curvatura da coluna lombar no plano sagital, os resultados mostraram-se compatíveis com as pesquisas relatadas na literatura, apresentando valores semelhantes aos encontrados por outros autores.
CONCLUSÃO: Os valores angulares normativos para as curvaturas lombo-lombar e lombo-sacra podem ser estabelecidos, respectivamente, em médias angulares de 44,44º e 57,5º para adolescentes assintomáticos.

Palavras-chave: curvaturas da coluna vertebral, lordose, adolescente, avaliação

4 - Validação da versão brasileira da Escala de Avaliação Postural para Pacientes após Acidente Vascular Encefálico

Validation of the brazilian version of the Postural Assessment Scale for Stroke Patients

Simone Minae Yoneyama; Roberta de Melo Roiz; Tiago Maia Oliveira; Telma Dagmar Oberg; Núbia Maria Freire Vieira Lima

Acta Fisiátr. 2008;15(2):96-100

OBJETIVO: Verificar a confiabilidade inter e intra-examinador, a validade construtiva e a consistência interna da versão brasileira da Escala de Avaliação Postural para pacientes após Acidente vascular encefálico (EAPA)
MÉTODO: O instrumento foi traduzido para a Língua Portuguesa, com base na sua versão original em Inglês por um tradutor bilíngüe. Dezenove indivíduos hemiparéticos foram avaliados por três examinadores pelo Escala de Avaliação Postural para Pacientes após AVE (EAPA) e Protocolo de Desempenho Físico de Fugl-Meyer.
RESULTADOS: Não foi encontrado efeito teto. Houve correlação entre os instrumentos Fugl-Meyer e EAPA total (r=0.79 e p<0.0001); excelente consistência interna para a EAPA total (0.83) e na sua subescala Mudança de Postura [MUP] (0.84); excelente coeficiente de confiabilidade interexaminador para a EAPA total e suas subescalas Mantendo a Postura e MUP (0.93; 0.95 e 0.87, respectivamente).
CONCLUSÃO: A EAPA apresentou resultados de validade construtiva, consistência interna e confiabilidade inter e intra-examinador que permitem a sua utilização na prática clínica.

Palavras-chave: hemiparesia, acidente cerebrovascular, avaliação, equilíbrio musculosquelético, postura

5 - Lombalgia e cefaléia como aspectos importantes da dor crônica na atenção primária à saúde em uma comunidade da região amazônica brasileira

Low back pain and headache as important aspects of chronic pain in primary health care in a community of the Brazilian Amazon region

Quirino Cordeiro; Marcelo El Khouri; Daniela Ota; Daniel Ciampi; Carlos Eduardo Corbett

Acta Fisiátr. 2008;15(2):101-105

A dor tem sido descrita como sendo uma experiência sensorial e emocional desagradável que é associada ou descrita em termos de lesão tecidual. Na atenção primária à saúde, a dor crônica atinge altos níveis de prevalência, especialmente devido aos quadros de lombalgia e de cefaléias. O objetivo do presente estudo foi investigar a prevalência de dor crônica na atenção primária à saúde na cidade de Buriticupu, localizada no estado do Maranhão, Brasil. Dentre todos os quadros clínicos, a dor crônica foi o diagnóstico mais prevalente entre os pacientes investigados, sendo encontrada em 539 pacientes (23,02%). Dor músculo-esquelética foi o quadro de dor crônica mais comum, atingindo 250 pacientes (10,62%), sendo que lombalgia foi o diagnóstico mais prevalente entre os quadros de dor músculo-esquelética, sendo encontrada em 120 pacientes (5,12%). Por outro lado, as cefaléias foram o segundo quadro de dor crônica mais comum, depois da dor músculo-esquelética, tendo sido diagnosticada em 212 pacientes (9,05%). Assim, 61,6% dos pacientes com dor crônica apresentavam lombalgia ou cefaléia. Análise estatística univariada encontrou associação entre gênero feminino e cefaléia, entre idade avançada e os principais tipos de dor crônica que foram avaliados neste estudo (músculo-esquelética, lombalgia e cefaléia), e entre índice de massa corpórea e dor músculo-esquelética e lombalgia. Quando a análise multivariada foi conduzida, as associações observadas com gênero feminino e idade avançada não mostraram alterações, mantendo os mesmos padrões de associação. No entanto, o índice de massa corpórea não apresentou mais associação com qualquer tipo de dor crônica.

Palavras-chave: lombalgia, cefaléia, epidemiologia, prevalência, atenção primária à saúde

ARTIGO DE REVISÃO

6 - Disfagia no AVE agudo: revisão sistemática sobre métodos de avaliação

Dysphagia in acute stroke: systematic review on evaluation methods

Charles Henrique Dias Marques; Charles André; Ana Lúcia Zuma de Rosso

Acta Fisiátr. 2008;15(2):106-110

OBJETIVO: analisar os testes clínico-funcionais para avaliação da disfagia orofaríngea em pacientes na fase aguda do AVE e rever criticamente as referências nacionais e internacionais sobre o tema.
MÉTODO: revisão sistemática através dos bancos de dados: PUBMED, LILACS, SciELO, Cochrane; de textos didáticos e revisões publicadas, além das listas de referências destas várias fontes. Resultados: Existe tendência internacional pela valorização dos testes que utilizam água, em função de sua aplicação simples e boa sensibilidade para identificação de dificuldades na deglutição. Já a literatura nacional sugere, principalmente, a avaliação do desempenho do paciente com alimentos de várias consistências.
CONCLUSÕES: A videofluoroscopia é aceita como método-ouro na avaliação da disfagia. Contudo, tem importantes limitações na avaliação de pacientes no estágio inicial do AVE. A videoendoscopia da deglutição, quando disponível, pode ser uma opção para estes pacientes. Existe grande variabilidade nos métodos de oferta para o paciente entre os testes clínico-funcionais. Apesar das críticas, os métodos clínico-funcionais, são amplamente utilizados com pacientes na fase aguda do AVE, não parecendo oferecer risco significativo aos pacientes.

Palavras-chave: acidente cerebrovascular, deglutição, transtornos de deglutição, avaliação.

7 - A fibra muscular e fatores que interferem no seu fenótipo

The muscle fiber and the factors that interfere with its phenotype

Sérgio Ricardo Boff

Acta Fisiátr. 2008;15(2):111-116

O grande interesse atual em tirar proveito das variações na performance humana, nos levam a busca do entendimento as adaptações fisiológicas, bioquímicas e morfológicas nos tecidos envolvidos. Os resultados obtidos através de modelos experimentais fornecem informações para melhor entender a função muscular, e com isso permitir planejar um treinamento adequado ao objetivo pretendido, tendo como base adaptações fisiológicas. A performance esportiva depende de um grande número de fatores, o tipo do músculo e os estímulos a que ele é submetido e são sem dúvida parâmetros importantes para o desempenho atlético. Para cada modalidade é ideal ter um grupo de fibras predominante adequado às características específicas da atividade. Dependendo do tipo de estímulo podemos obter um aumento de força, sendo esta adaptação uma das mais importantes para a manutenção da saúde ou a melhora do desempenho atlético.

Palavras-chave: fibras musculares, músculo esquelético, miosinas, fenótipo

RELATO DE CASO

8 - Tratamento com estimulação elétrica funcional para facilitação da recuperação motora em paciente com acidente cerebrovascular subagudo

Functional electrical therapy for facilitation of motor recovery in a patient with subacute stroke

Aleksandra Plavsic; Aleksandar Djurovic; Mirjana B. Popovic

Acta Fisiátr. 2008;15(2):117-121

OBJETIVO: Determinar a eficácia de um protocolo de Tratamento com Estimulação Elétrica Funcional (FET) administrado a um paciente com acidente cerebrovascular subagudo.Descrição do Caso: Paciente destro, 67 anos, sexo masculino, que sofreu infarto nas regiões occipital esquerda e frontoparietal 6 meses antes de sua admissão neste estudo e que demonstrou grau elevado de motivação para recuperar plenamente a força do braço e o controle adequado dos dedos do membro superior afetado.
INTERVENÇÃO: Trinta minutos de FET, 5 vezes por semana durante 3 semanas (7 1/2 horas no total) além da fisioterapia convencional. Principais Medidas de Avaliação de Resultados: A Escala Modificada de Ashworth (MAS), o teste de funcionalidade das extremidades dos membros superiores (UEFT), o Registro de Atividade Motora (MAL), O teste de 6 fases de Brunnstrom, a Medida de Independência Funcional (MIF).
RESULTADOS: O paciente apresentou melhora bastante significativa nas escalas quantitativas UEFT e MAL. Ele melhorou de forma específica na atividade de escrever ao obter melhor controle dos dedos e na capacidade de controlar objetos pesados. Também, observou-se o aumento da amplitude ativa de movimento (ROM) dos músculos proximais, embora a estimulação elétrica tenha sido aplicada apenas aos músculos distais. Houve uma melhora na qualidade geral da utilização do braço, conforme mensurado pela escala qualitativa MAL.
CONCLUSÕES: A terapia com Estimulação Elétrica Funcional (FET) em pacientes com acidente cerebrovascular subagudo com alta motivação para tarefas específicas pode ser um método eficaz para a melhora do funcionamento e da utilização dos braços afetados.

Palavras-chave: estimulação elétrica, terapia; acidente vascular encefálico; exercício; reabilitação

9 - O uso da terapia por ondas de choques radiais no ombro doloroso por subluxação após um acidente vascular cerebral - série de casos

The use of extracorporeal shock wave therapy in the painful shoulder condition due to subluxation in the stroke patient - case series

Marcio Miranda Batista; Eliana Zeraib Caraviello; Paula Piccoloto; Milene Silva Ferreira; Danilo Masiero; Therezinha Rosane Chamlian

Acta Fisiátr. 2008;15(2):122-126

Uma das principais causas de ombro doloroso após o acidente vascular cerebral (AVC) parece ser o tracionameneto das estruturas periarticulares devido à luxação ou subluxação, o que acarreta um processo inflamatório crônico nestas estruturas. A terapia por ondas de choque radiais (TOC radias) vem se mostrando um importante recurso para tratar dores crônicas, que falharam ao tratamento convencional. Este estudo teve por objetivo avaliar o efeito das TOC radias no ombro doloroso por subluxação após AVC. Participaram do estudo nove pacientes hemiparéticos com dor no ombro associada a subluxação, sem sucesso ao tratamento conservador por pelo menos seis meses.Os pacientes receberam três aplicações da TOC radiais (2000 pulsos, com freqüência de 6 Hz), com intervalos de duas semanas. Um paciente foi excluído do estudo por ter sido submetido a bloqueio químico durante o tratamento. Os oito restantes tiveram alívio considerável da dor (entre 100% e 34%, segundo a escala visual analógica) que se manteve até um mês após o final do tratamento. Houve associação do alívio da dor com melhora da mobilidade ativa, amplitude articular, sono e redução do uso de medicamentos analgésicos. Não foram descritos efeitos colaterais de qualquer natureza. Os autores concluem que as TOC radiais podem ser um recurso efetivo para o controle da dor no ombro de pacientes hemiplégicos, além de lançar mais evidências no esclarecimento da possível etiologia inflamatória da dor no ombro desses pacientes.

Palavras-chave: acidente cerebrovascular, dor de ombro, ondas de choque de alta energia.

CARTA AO EDITOR

10 - Efeito da música e de exercícios físicos num grupo de pessoas reumáticas: estudo piloto

Effect of music and physical exercises on a group of rheumatic patients: pilot study

Johanna Noordhoek; Lieselotte Jokl

Acta Fisiátr. 2008;15(2):127-129

A associação de terapias com música e exercícios físicos foi estudada com um grupo de indivíduos reumáticos (n = 17). Em cada sessão das terapias conjugadas, o participante era entrevistado quanto ao seu estado físico (sensação de dor e facilidade de se movimentar) e emocional. De modo geral, após 8 sessões, os participantes melhoraram nos aspectos avaliados. Considerou-se que a interação dessas áreas terapêuticas não só é possível, mas sobretudo, positiva. Desta forma, foram abertas perspectivas no campo terapêutico, principalmente, pela dimensão existencial que o processo alcança, uma vez que interfere, ao mesmo tempo, nos aspectos emocional, físico e social das pessoas reumáticas.

Palavras-chave: musicoterapia, fisioterapia, terapia ocupacional, exercício, doenças reumáticas

Revista Associada

Logo Associação Brasileira de Editores Científicos

©2017 Acta Fisiátrica - Todos os Direitos Reservados

Logo Acta Fisiátrica

Logo GN1