ISSN 0104-7795 Versão Impressa
ISSN 2317-0190 Versão Online

Logo do Instituto de Medicina Física e Reabilitação HC FMUSP

Resultado da Busca

A busca para artigos relacionados encontrou: 2 resultado(s)


A funcionalidade de usuários acometidos por AVE em conformidade com a acessibilidade à reabilitação

The functionality of patients afflicted with EVA according to their access to rehabilitation

Eleazar Marinho de Freitas Lucena; Jairo Domingos de Morais; Hermínio Rafael Lopes Batista; Luciana Moura Mendes; Kátia Suely Queiroz Ribeiro Silva; Robson da Fonseca Neves; Geraldo Eduardo Guedes Brito

Acta Fisiátr.2011;18(3):112-118

O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma doença crônico-degenerativa e representa um desafio tanto pelo impacto social, quanto pelas repercussões na vida das pessoas, pois, quando não letal, o AVE geralmente provoca graves repercussões para o indivíduo, a família e a sociedade. O presente estudo tem como objetivo descrever e analisar a funcionalidade dos usuários com AVE, adscritos na área de cobertura das Equipes de Saúde da Família do município de João Pessoa, em conformidade com o acessibilidade que tenham tido à reabilitação. Trata-se de um estudo transversal de base populacional com amostra de 140 indivíduos com idade acima de 18 anos, acometidos por AVE no período entre os anos de 2006 e 2010. As variáveis descritivas foram aquelas que identificam os sujeitos da amostra e caracterizam o AVE clinicamente. Para avaliar a funcionalidade dos sujeitos utilizou-se o domínio Atividade e Participação da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). A associação das categorias de atividade e participação com a acessibilidade à reabilitação foi verificada por meio do teste Qui-Quadrado com nível de significância de 5%. Constatou-se maior comprometimento nas categorias Uso fino da mão, Recreação e Lazer, Deslocar-se e Fala no grupo dos participantes que tiveram acessibilidade aos serviços de reabilitação, indicando que a dificuldade nestas atividades provoca no individuo a necessidade de inserção nos serviços destinados a reabilitação. Este estudo demonstrou que a maioria dos pacientes pós-AVE apresenta consequências crônicas em suas funções corporais, predispondo a necessidade de inserção contínua nos serviços de reabilitação para maximizar a funcionalidade nas atividades cotidianas e facilitar a participação social.

Palavras-chave: Acidente Cerebral Vascular, Acesso aos Serviços de Saúde, Reabilitação, Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde

 

Physiotherapy prescription among elderly users of primary healthcare facilities

Uso de fisioterapia entre idosos usuários de serviços de atenção primária

Natalia Akemi Yamada Terada; Scarlet Feitosa Santos; Miriane Lucindo Zucoloto; Edson Zangiacomi Martinez

Acta Fisiátr.2017;24(4):170-174

A fisioterapia ocupa um papel importante na promoção da saúde e da autonomia para os idosos, e o sistema de atenção à saúde deve estar apto a oferecer suporte adequado para as pessoas desta faixa etária. Objetivo: Determinar a prevalência de uso de fisioterapia entre idosos (60 anos ou mais) usuários de serviços de atenção primária à saúde de Ribeirão Preto, Brasil, e investigar suas associações com variáveis como sexo, idade, nível educacional e classe socioeconômica. Métodos: Os dados foram coletados por entrevistas pessoais. Os idosos foram convidados a participar do estudo enquanto aguardavam por um atendimento médico em uma unidade de saúde. Modelos de regressão log-binomiais foram utilizados para ajustar os dados. A amostra foi composta por 224 (63%) mulheres e 133 (37%) homens. Resultados: Ao todo, 141 (39,5%) idosos relataram ter usado fisioterapia em algum momento de suas vidas. A prevalência de utilização da fisioterapia entre as mulheres foi de 42,0% (IC 95%: 35,4% - 48,7%) e entre homens foi de 35,3% (IC 95%: 27,2% - 44,1%). A utilização de fisioterapia foi mais frequente entre pessoas idosas portadoras de plano de saúde, classe socioeconômica mais privilegiada e maior escolaridade. Isto sugere que grupos mais privilegiados da população possuem maior acesso à fisioterapia e maior possibilidade de pagar por atendimento que pessoas sem cobertura de planos de saúde. Conclusão: A participação de fisioterapeutas na atenção primária à saúde deve ser encorajada, objetivando reduzir as desigualdades no acesso a tais recursos.

Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Assistência a Idosos, Serviços de Saúde, Fisioterapia

 

©2019 Acta Fisiátrica - Todos os Direitos Reservados

Logo Acta Fisiátrica

Logo GN1